Bariloche – Fome?!

Então,

Ahh... Bariloche
Ahh… Bariloche

Uma das coisas mais marcantes da minha viagem para Bariloche foi a minha barriga. Cacete, eu voltei de lá muito barrigudo. Eu já tinha um pouquinho, então apenas voltou bem maior (até hoje, meio de Jan/13 eu ainda não consegui perder) mas e a Lissa que é bem magrinha e também voltou com uma barriguinha? Com certeza vou apanhar… ahahaha

Gente, Bariloche é um paraíso gastrônomico. Lá tu pode comer e beber aos montes… E o melhor, tem o conjunto completo. Pratos principais, Cervejas Artesanais e Chocolates Suiços. Apesar de eu não gostar de Chocolate, sei que é uma unanimidade mundial.

Então, pra tentar direcionar quem for para Bariloche a alguns restaurantes que eu considero que valem a pena, vou escrever das nossas experiências gastronômicas de Bariloche. Infelizmente, eu não tive disciplina de anotar os preços dos restaurantes, mas posso antecipar o seguinte: Não é nada MUITO gritante. Então podem ir em qualquer um deles, que com certeza algum prato estará no seu orçamento.

 

Restaurante Jauja

Site: http://www.restaurantejauja.com.ar/

Então, foi nesse restaurante que eu me tornei um cara comprometido (e dessa vez não foi com Deus ehehehe). Com uma simples indagação, transformei aquela loira linda na minha frente na minha excelentíssima namorada. 😀 Acho que a descrição que a Lissa (colaboradora neste post) me deu sobre o restaurante está ótima. 😉

“Nesse restaurante recebi o pedido de namoro mais lindo que poderia ser!!!! 😉 Uma entrada de funghi e cebolinha verde, maravilhosa. Se eu não me engano, um assado de tira de cordeiro (na verdade foram carnes de diversos animais típicos da região) acompanhando um canelone de queijos/bacon. Cerveja foi uma artesanal (que estava quente), e depois trocamos pra uma outra que não lembro (Stella Artoa). Ah, sem esquecer das franboesas gostosíssimas da vendinha na frente (esquina).”

O restaurante tem um clima bem agradável e fomos muito bem atendido pelos garçons.

.

Restaurante La Playa

Site: Sem site

Este foi um dos restaurantes que foram recomendados pelo pessoal do Hotel e foi muito bom. Ele fica na beira do Lago Nahuel Huapi, no Km 8 da Av. Bustillo. Quando chegamos lá, após termos ido em algum dos cerrros da região, o restaurante ainda estava fechado (abria as 20h). Ficamos morguiando no carro e uns 30 min depois entramos.

Pedimos uma Parrilla Patagônica completa, com diversos tipos de carne e linguiças. Vinham junto algumas  polentinhas crocantes e para complementar pedimos uma salada de mix de verdes ótima! A Parrillada é BEM completa e deu para os 2 comerem muito. Demais, inclusive.

Para beber, fomos de Stella pois não vi nada de muito destaque lá não.

.

Restaurante Familia Weiss

Site: http://www.restauranteweiss.com.ar/

Esse restaurante foi foda. Ele fica na esquina ao lado da Catedral de San Carlos de Bariloche (o que é uma ótima referência para localização. O restaurante é visualmente muito legal. É todo de madeira, mas com madeira trabalhada, toda típica. As garçonetes todas atendem vestidas tipicamente como camponesas e a comida foi surpreendente. Descrição da Lissa abaixo (com comentários meus entre os parenteses).

O melhor fondue de carne que já comi, na minha opinião (concordo)! Servido escalopes de filé mignon apenas selados, e o cozimento num molho de carne temperado. Molhos de 6 tipos bem elaborados. Chopp artesanal rubio com um sabor final de amendoin. AMEI!!!! Tomava agora (Eu também!!!) hehehe

Como eu disse, esse lugar realmente surpreendeu. O fondue teve um estilo muito diferente dos outros 3 que fomos, pois a carne já vem meio assadinha (selada, como disse a Lissa) e depois tu vai cozinhar ela em uma aguá que tem tipo um molho de carne (natural e não artificial). Além de tudo, o atendimento foi muito bom e o choop maravilhoso. Serviço compelto!

Ah, e a Lissa esqueceu de avisar, mas no final comemos de sobremesa uma panqueca com leite condensado que também teve seu espaço reservado nos nossos corações.

.

Pizzaria Girula

Site: Sem site

Esse restaurante acho que foi uma das nossas principais jantas. Foi recomendado pelo Hotel por sem bem pertinho dele e realmente tive que admitir, a comida lá era excelente.

De entrada pedimos uma salada verde com escalopes de salmão grelhados, impressionantemente gostosa!! Para o prato principal, foi uma pizza (óbvio) de mozzarella e jámon.

Para beber, pedimos um chopp forte, rojo e quente; mas queeeeente mesmo (nas palavras da Lissa e endossadas por mim)! 😛 Para quem gosta de choop forte, vale a tentiada, mas para quem não gosta, vai de cerveja mesmo.

.

Restaurante La Alpina

Site: Sem site

Comemos duas vezes. Primeiro um fondue de carne tradicional. Molho nem tão elaborados, todos notavelmente a base de maionese. Cervejinha Stella. Na segunda vez que foi um Cervo Patagonico ao molho agridoce, um filé a milanesa parmegiana, arroz e uma salada mista (que só veio legumes heheh). Stellinha de novo, pra deixar o almoço mais feliz! 🙂

Este restaurante tem um destaque no coração de Bariloche. Ele fica em uma esquina bem movimentada a por isso tem um bom movimento. Nossa primeira vez lá foi bem agradável, foi uma das nossas primeiras refeições e apesar do fondue momentaneamente estar gostoso, comparado com os outros que fomos, ficou ruim. eheheh Na nossa primeira vez fomos atendidos por um senhor excelente, o que tornou o ambiente muito mais agradável (ao contrário da segunda vez, que foi uma moça bem sem vontade).

Eu faço um destaque para o Cervo patagônico pois ele realmente me surpreendeu. Carne bem macia e com um molhinho meio doce, até me lembrou um pouco o entrecosto do Why Not? em Tete.

.

Cervejaria Blest

Site: http://www.cervezablest.com.ar/

Todo mundo que vai para Bariloche sabe que lá existem grandes cervejarias. A Blest é uma das mais famosas lá. Ela fica na Av. Bustillo, no caminho para o Hotel Llao Llao. Obviamente, fomos lá com o principal interesse de beber uma cerveja, o que não nos decepcionou at all!

Para começar pedimos uma sopa de cebola com torradinhas de pão caseiro e queijinho parmesão (gostosa de maaaais) e de prato principal uma tábua de queijos/frios defumados e pães artesanais. A tábua vem com carnes BEM fortes e na verdade não me agradou tanto (acredito que nem a Lissa) quanto eu esperava.

O Choop de lá é muito e tranquilamente dá pra ficar bebendo uma tarde inteira. Sentamos em uma mesa fora do restaurante o que criou um clima bem gostoso pra ficar bebendo. Uma coisa ruim é que parece que eles não estão muito preparados para atender em momentos de muito movimento, pois o atendimento foi bem lento e os garçons pareciam um pouco perdidos em diversos momentos.

.

Chalet Suisse

Site: http://www.chalet-suisse.com.ar/br/index.php

Esse foi o restaurante o qual eu passei a noite da virada do ano. E tenho que confessar, foi uma história muito engraçada, por isso vou detalhar mais…

Quase todas minhas refeições em muito generosas, tão gerenosas que eu sentia que podia ficar uns 3 dias sem comer após cada uma delas. No dia 31, tivemos uma refeição bem generosa no almoço e decidimos que não iriamos fazer ceia a noite, por isso iriamos para qualquer lugar beber e petiscar alguma coisa. Outro ponto que pesou muito é que grande parte dos restaurantes estavam fazendo ceias e todas elas com valores BEM altos. Nossa fome não valia aquele valor…

Por isso não reservamos nenhum restaurante. FALHA NOSSA. Ficamos mais de 1 hora circulando a cidade e tentando achar um restaurante com vaga disponível ( e que não fosse uma Ceia). Não obtivemos sucesso. Frustrados, enxergamos que a balada que pretendíamos ir já estava aberta e decidimos que iríamos direto para a balada e começar a beber (ou seja, beber até cair). Quando chegamos lá, BOOM! Balada aberta naquele momento só para “los chicos”.

Cabisbaixos, com ar de losers e andando como cachorros abandonados, estavamos quase decidindo que nossa virada de ano ia ser juntos vendo o lago no hotel ( o que, na realidade, não seria muito ruim ), porém notei a entrada de uma casa/restaurante que sempre tinha me chamado a atenção naquela rua pelo aspecto externo. Era uma casa, numa área bem alta, com traços bem típicos suiços. Por descargo de consciencia resolvemos tentar entrar e para nossa surpresa o restaurante estava com vaga disponível em varias mesas. Conclusão: Deve ser fria. Mas como não tinhamos opção, resolvemos sentar e aproveitar, pois pelo menos tinhamos achado um lugar.

Depois de uma analise geral no ambiente, vou listar o que fez a noite que parecia que ia dar tudo errado em algo muito legal:

1) Você é suiço (ou descendente de) e quer deixar o ambiente com este aspecto. Como fazer? ENXER o ambiente com diversas coisas referentes ao país. Cartazes, copos, xícaras, porta-velas, pratos, toalhas de mesa. CARREGADASSO. Pense em algo brega… agora multiplique por 20x.

Quando parece que é horrível, tu chega a conclusão: O negócio parece tão exagerado e tendente ao brega que fica Style. Ou seja, lugarzão mó style.

2) Pense num restaurante familiar. O Pai, patrono da casa e do ambiente, recebe os clientes e faz questão de passar na mesa para dar um oi e ver se está tudo ok. A mãe, dona de casa e cozinheira de mão cheia. As filhas, para ajudar, trabalham de garçonetes.

Eu não sei se essa é uma associação válida, mas pra mim isto estava claro na minha cabeça enquanto eu estava lá. Todos eram da família e trabalhavam como tal.

3) Vamos animar o ambiente? Quem sabe a gente não chama o Tio Rui (de 70 anos) e o Tio Antunes (de 88 anos) para tocarem? PERFEITO!

Cara, isso fez toda a diferença. Enquanto nós estavamos na nossa mesa tomando um choop, tinham 2 velhinhos (claramente parentes do resto da família) que estavam tocando uma música com ritmo alemão para animarem o ambiente. Um tocava gaita de botão e outro tocavam violão. Durante a noite, o pai (dono do local) se juntou a eles e tocaram um clássico da música Alemão/Suiça/Argentina/Somewhere para os convidados. O mais legal disto, era ver claramente a felicidade deles tocando. Era contagiador.

Moral da história, não tinha como não gostar de passar a noite ali com eles. Fomos recebidos com um carinho por eles, que foi marcante. Eles serviram 1 taça de champagne por pessoa no restaurante para o brinde na virada do ano, e  o Pai veio de mesa em mesa fazer um Tim Tim e agradecer por termos comparecido na sua noite. Nesse momento deu pra notar que ele realmente estava feliz com a nossa presença ali.

Assim, nossa noite que parecia que ia dar tudo errado, deu MUITO certo.

Em termos de comida, nada demais. Na descrição da Lissa sobre o restaurante, diz o que foi:

“Foundue de queijo. Entrada Presunto Parma, melão e cereja (uma combinação BEM bizonha). Chopp rubio! Mas o mais marcante foi o clima, o meu amor e principalmente os gaitieros! :D”

Então, acho que agora vocês tem algumas sugestões de lugares para ir comer. Façam bom proveito e voltem bem barrigudinhos, assim como eu a a Lissa (sério, vou apanhar!!) eheheh

Tiago e Lissa

Ps: Este post estava escrito desde 21/Jan/2013. Incrível, né? hehehe

Anúncios

Um comentário sobre “Bariloche – Fome?!

  1. Muito bacana esse seu post. Não cheguei a estar em Bariloche,mas,estive sim na região da Patagönia,em 1992,quando nem ainda era muito moda ir para lá. Mas eu estive mais a leste,e não era a àrea de neve. Mesmo assim,foi muito bacana…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s