Boroma – Tete

Buenas, minha gente!

Que tal essa vida? Tudo tranquilo?

Faz um tempinho que não escrevo e hoje considero o post bem interessante. Afinal, estou falando de basicamente o único ponto turístico oficial da cidade de Tete em Mozambique.

A história começa com a Missão jesuítica portuguesa de Boroma, onde fica localizada a Igreja de Boroma, um patrimônio histórico de Tete. Não achei muitas informações pela interna, mas basicamente é uma Igreja construída lá no final de 1800 e que fui usada por jesuítas portugueses para disseminar a religião e também para o ensino do povo Moçambicano.

Para chegar até lá, saindo da cidade de Tete, basicamente tu vai costeando o Rio Zambezi contra a corrente do rio, ela fica em torno de 25 km da cidade, no município de Changara. Isso é uma das coisas interessantes que tem na ida até lá, a paisagem é muito bonita. Existem diversas vilas no meio do caminho onde tu pode ver muito bem como é a vida da população nativa daqui da região.

A Igreja teve diversos momentos, funcionando ou não, nas mãos das mais diversas pessoas e instituições/governo. Hoje a Igreja funciona, mesmo que aos pedaços, e todos os Domingos tem missa as 7hs da manhã. Junto a Igreja existem 2 escolas: uma Escola Secundária e outra Escola Agrária.

Indo até onde fica a Igreja, você encontra algo como se fosse um forte, a Igreja é rodeada por muros com símbolos da cruz de malta (portugueses) e também alguns prédios paralelos que são utilizados como moradia para professores e também como sala de aulas.

Um pequeno resumo que encontrei na internet diz o seguinte:

“No alto de uma colina, a dominar majestosamente a paisagem, encontra-se a Igreja da Missão de Boroma, ladeada pela escola e outras dependências. A escadaria de pedra maciça é grande, imponente. A degradação acompanha essa grandeza.

A história deste templo jesuíta remonta à segunda metade do século XIX, quando os missionários desta congregação religiosa resolveram instalar-se aqui pregando e alfabetizando as populações.

Em 1890, ficou concluída a igreja e a escola adjacente. Com os tempos do socialismo ateu que se seguiram à independência os sacerdotes abandonaram definitivamente a missão.

O Governo ocupou-a e fez dela uma escola. Entretanto, já depois dos acordos de paz, um padre italiano encarregou-se da reabilitação da igreja que hoje é palco de celebrações regulares de cerimónias religiosas.” http://viajar.sapo.mz/lista/patrimonio/tete/artigo/497

ou

Justificação: Construída a 30 de Julho de 1885, a igreja de São José de Boroma desempenhou um papel importante como centro de educação formal e formação profissional dos moçambicanos. O ensino missionário era a única altenativa para a maior parte dos moçambicanos. As suas infra-estruturas consistiam num internato, uma escola de artes e ofícios, sendo que o corpo docente era composto por missionários de campo. http://www.micult.gov.mz/index.php?option=com_content&view=article&id=104:igreja-de-sao-jose-de-boroma-tete&catid=20:patrimonios-culturais&Itemid=19

Como não tem muito o que escrever sobre o tema, apenas tenho a dizer que eu não tinha muita expectativa sobre ir lá. Mas ao chegar lá e curtir tudo, superou as expectativas. Como eu sempre digo, acho que fotos falam mais do que eu escrevendo aqui, então vamos a elas… 🙂

A cruz na estrada que vem beirando o Rio Zambezi indica a entrada para a bairro onde está localizada a igreja.
O caminho é bem bonito até a Igreja.
Primeiro ponto de parada na subida em direção a Igreja. Sinceramente, não sei que nome dão para isto. Um santuário??
Vendo ele mais de perto...
Primeira vista da entrada para a Igreja. Detalhe para os grandes muros que circulam a Igreja.
A famosa Igreja da Missão Jesuíta de Boroma.
O Prédio anexo que hoje serve como dormitório para alguns dos professores que lecionam na escola secundária e na escola agrária.
"Se mais mundo haverá, lá chegará."A entrada do prédio onde hoje é o dormitório dos professores, a data indica a finalização da Igreja, 1890.
Vista alternativa (fundos) do prédio dos professores. Todas construções de Boroma estão bem deterioradas.
A vista da frente da Igreja. Uma locomotiva velha, os muros que cercam a igreja (com detalhe para a cruz de malta) e o Rio Zambeze ao fundo.
Primeira vista ao entrar dentro da Igreja.
O teto.
Novamente, o teto. Afinal, uma das coisas mais lindas de igreja é sempre o teto.
Não me canso...
O detalhe do altar...
Os vitrais... Infelizmente muitos deles já foram roubados.
O antigo relógio que está no segundo andar (e em frente da Igreja).
Detalhe do relógio... a data.
Como toda boa igreja, um sino.
A vista do segundo andar da Igreja.
Detalhes...

Eu acho que deu para perceber o quanto é bonito o lugar né? Pessoal que está em Tete e não teve oportunidade ou paciência de ir lá, fica minha dica. Vale a pena. Ouvi falar que vão reformar a Igreja, por isso seria interessante que fossem antes para ver originalmente como era.

No mais, deixo mais umas fotos abaixo do caminho e outras fotos randomicas.

Em primeiro lugar, a turma que foi comigo. Obrigado pela companhia Luiz Carlos Jr., Lívia Guerra e Alexsandro Cota.
Embodeiro solitário na paisagem...

Grande abraço.

Tiago

Anúncios

16 comentários sobre “Boroma – Tete

  1. Querido Tiago,
    parei no seu blog e descobrii com surpresa que esta morando em Tete…
    Eu cheguei a pouco tempo e precisaria de algumas dicas sobre a cidade, se voce tiver tempo para me orientar seria meravelhoso,
    francesca

  2. Tche, a Fundação Estação Conhecimento (nome da Fundação Vale em Moçambique) está com um projeto bacana para Boroma: reforma, revitalização, parte social, etc. Quando eu tiver alguma informação mais completa, te mando. Abraços

  3. I like to know what happened to the Records of the Students that attended Boroma Mission as I trying to trace some relatives that attend the mission school in the 1940’s?

  4. Eu tambem passei por la em Boroma na verdade e uma infra estrutura social muito Bonita que para irem visitar para os que ainda nao foram para la.

  5. Visitei a Missão de S. José de Boroma em 1965. A igreja era lindíssima. As suas artes e ofícios uma maravilha. A sua fértil machamba com as plantações de bananeiras e outras árvores de fruta tropical mesmo ao lado do Zambeze eram uma preciosidade. Saudades daquele local paradisíaco!

  6. Tive a oportunidade de Visitar Boroa em 2013 e 2014. Tirei lindas fotos no local, so pena estar tao dilapidado. Amei o seu blog

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s