9 meses em Moçambique

Buenas,

Depois de 9 meses morando em Moçambique, acho que chegou a hora de fazer um wrap up de tudo que eu passe/presenciei em Moçambique. Quem sabe podemos falar em pontos negativos e positivos ou aprendizados?

Esse texto poderia ser incrivelmente longo, na verdade eu pensei sobre ele enquanto estava sentado agora na frente do meu quarto, pensando na vida. Falando nisso, acho que posso resumir 9 meses com essa palavra: Pensamento. Inclusive, nesse exato momento, to com um pouco de dor de cabeça e acho que é de tanto pensar. Foram 9 meses de pensamentos intensos… Ou quem sabe a palavra que eu devia usar para falar sobre esse tempo é: Intenso?

Acho que aprendi tanto nesses tempos que tenho até dificuldade de listar tudo… Na verdade eu considero que ando passando por um processo de mudança de perfil faz um tempinho. Acho que posso dizer que me tornei uma pessoa mais introspectiva, por mais bizarro que isso se parece para as pessoas que me conhecem. Sinceramente, eu estranho um monte isso, mas não acho que seja algo ruim… é só uma questão de ser um perfil diferente.

Quando paro pra pensar, também chego a conclusão que eu acho que envelheci um pouquinho… eheheh Fora as idades e os cabelos brancos (que insistem em nascer descontroladamente na minha pseudo-franja) eu acho que envelheci um pouco em mentalidade mesmo. Agora, se eu acho isso ruim ou bom, não consegui chegar a nenhuma conclusão… Para alguns pontos eu acho bom, para outras ruim… Sei lá, né?

Bom, tentando fazer um resumo sobre algumas coisas que me veem a cabeça de aprendizado ou conclusões que cheguei aqui até agora…

– Isso aqui (Moçambique / África Austral) é lindo demais. Nunca pensei que pudesse conhecer lugar tão lindos um do lado do outro;

– A cultura africana ainda é muito pura. Em muitos lugares, teve pouquissimas mudanças. Algo que claro tende a mudar, porém, é possível tu conhecer lugares onde as pessoas vivem ainda exatamente como a gente tem costume de ver na TV. A famosa África “exportação”…

– A saudade é algo constante, e nunca vai mudar para quem está fora. A única diferença é que ao decorrer do tempo tu se acostuma a viver com ela. Porém a instabilidade emocional de estar longe é sempre constante. No mesmo dia tu pode variar de super alegria para mega depressão. Fácil… Como eu disse, ao decorrer do tempo tu aprende a lidar com isso e tudo começa a parecer mais estável. Já ouviu falar de auto-conhecimento?

– Eu gosto muito do clima de cidade pequena. Tete é uma cidade muito pequena e eu acho que tem uns benefícios muito grandes em morar em cidades assim. Proximidade entre as pessoas e junções de amigos são as principais. Como eu adoro este tipo de coisa, mais do que ir para uma balada “top”, eu me sinto melhor do que numa cidade grande. Claro que eu sinto falta das coisas de cidade grande, mas descobri um amor por cidade pequena que estava escondido desde que sai de Cachoeira do Sul no RS. Acho que não é só eu que sinto isso, tem pessoas que vem pra cá e depois dizem que tem saudade…

– É IMPRESSIONANTE como as coisas podem mudar MUITO na faixa de 200 km. Moçambique e África do Sul que o digam… O difícil é entender COMO isso pode mudar tanto num espaço tão pequeno… Penso MUITO sobre isso e não consigo chegar a uma conclusão plausível.

– Eu aprendi a valorizar muito as pequenas coisas. Uma mensagem, uma declaração, uma call, um abraço ou apenas uma conversa. As vezes me pego pensando em coisas tão simples do dia a dia e o quanto elas impactam a nossa vida diariamente. Acho que fiquei mais “sensível” a tudo que acontece (por mais boiola que isso pareça, mas é verdade).

– Eu sou um nerd e não tem como negar isso… hehehhe.

– É difícil para algumas pessoas se colocar no lugar dos outros ou aceitar o perfil de cada pessoa. Existe uma tendência enorme das pessoas imprimirem seus próprios sentimentos e anseios nas outras, esperando que todos reajam e principalmente ajam de acordo com o que elas acham que deveria. Perfil normal do ser humano, que na verdade eu pensava que mudava ao decorrer da idade… Acho que só para alguns.

– Não se precisa de muito para ser feliz. É só olhar a sua volta…

– Mineração é algo do CACETE. To gostando muito de trabalhar neste ramo.

– Eu sou uma pessoa que gosta MUITO de trabalhar, independente do que eu faço. Acho que se me dessem uma missão dizendo pra mim que eu tinha que recolher todo o lixo da cidade e que isso é algo muito importante para mim ou para a empresa, eu com certeza seria um catador de lixo dedicado e muito motivado. Apenas preciso ver o quanto isso é importante que eu já me motivo todo.

– Um ano é o suficiente para criar amizades que eu sei que eu irei levar para o resto da minha vida. CERTEZA ABSOLUTA.

– Sotaque é algo muito fácil de pegar. O meu por exemplo, tá uma putaria que só vendo (ou ouvindo). Tá uma mistura de gauchês, mineirês, carioca e moçambiquês. Nem queiram ouvir….

– Mineiros gostam muito de queijo e caxaça… eheheheh Meio óbvio, né? ahahaha Mas falando sério, mineiros são pessoas que tem um perfil parecido com o gaúcho, eu acho. Todos orgulhosos de onde vem, com características culturais e “palavreado” bem marcado… Além de ter um estilo de relacionamento interpessoal muito parecido com o gaúcho…

– Falando novamente dos mineiros… Quem acha que richa Gre-Nal no RS não tem concorrentes fortes no Brasil. NUH! Vocês não tem noção como mineiro é chato pra futebol. Aqui tudo envolve Cruzeiro ou Atlético MG. Festa de aniversário do pai, do filho, da mulher, do cachorro… Churrasco com os amigos, Carnaval, caminho de volta do trabalho, hora de durmir. Qualquer momento é hora pra falar dos times ou cantar os seus hinos. IMPRESSIONANTE!

Eu poderia escrever muito mais neste post, mas vou me resumir nisto para não me alongar demais.

Queria agradecer DEMAIS a todas as pessoas que me suportaram e que me apoiaram neste 9 meses que eu estou aqui em Moçambique. Obrigado aos brasileiros daqui ou do Brasil, que me deram a sua amizade, minha fonte de energia para todos os momentos que preciso buscar forças para qualquer coisas. Vocês sabem quem são…

Minha família, obrigado por tudo. Por me proporcionar esse momento aqui e por me dar todo o suporte mesmo a distância para tudo isto.

E um obrigado especial a Moçambique e aos Moçambicanos por terem me recebido tão bem no seu país e por estarem me proporcionando um dos anos mais interessantes e desafiadores da minha vida. Espero que nosso relacionamento seja um pouco mais longo que apenas um ano.

Tatenda Kwene Kwene.

Tiago

Anúncios

8 comentários sobre “9 meses em Moçambique

  1. É manolo… meus 12 meses ai foram bem tensos e bem intensos. Gostei de muita coisa, desgostei de muitas outras, mas se eu pudesse resumir a experiência em uma palavra seria: APRENDIZADO.

    Você foi um dos caras com quem eu mais conflitei, dos que eu mais me identifiquei, dos que eu mais convivi, e um dos que com mais APRENDI!

    Saudades de ti baitola.

    Abs,

    Giba

  2. Pois é Mano!!! Lendo teu blog eu lembrei de uma conversa que tive com a mãe hoje… sobre as expectativas que criamos dos outros!!! Identifiquei-me com ela!!! Eu já tive muitas expectativas sobre as pessoas, não indo longe: nos círculos familiares, de amigos, de colegas de trabalho, mas percebi que as nossas expectativas são somente nossas… as pessoas em geral não correspondem a elas, são criações nossas e, na maioria das vezes, saímos decepcionados. Porque na vida, todos estamos preocupados em resolver os nossos problemas e esquecemos do outro… é triste, mas é verdade!!! Seria ótimo se as pessoas aprendessem a viver juntas e a valorizar o que tem… porque nada é por acaso… Então, aprendi a não criar esse tipo de sentimento em relação às pessoas, para não sair magoada. Mas saiba que, algumas vezes, as pessoas não dizem, mas elas se importam, elas sentem, elas se preocupam!!! E, realmente, acho que tu se tornou mais sensível morando longe… todos nós aprendemos a valorizar aquilo que temos quando deixamos essas coisas para trás… claro que tu sempre valorizou, mas é importante reforçar isso para nós mesmos!! É um bom sinal!!! Sinal que sabemos o que nos faz falta!!! Saiba que aqui tu faz falta!!!

    Outra coisa que me chamou atenção foi quando tu falou sobre o trabalho!!! Eu também sinto o mesmo… quando eu vejo que o que eu faço traz algum benefício para outrem, eu sinto uma satisfação enorme brotar do meu coração!!! É que nós viemos de uma família apaixonada pelo trabalho e que nos ensinou a ser úteis aos outros sempre!!! E é assim que nós vamos conquistar a vida, a evolução… através do trabalho, muito trabalho!!! E quando fazemos o que amamos, nem é trabalho, é uma diversão… por mais que tenha sempre uma certa pressão (prazos)… é maravilhoso tu saber que o teu trabalho é importante para alguém… e as vezes até precisamos de um feedback para nos “remotivarmos”…

    Maninho, fica com Deus!!! Espero que vc consiga o que tanto almeja, porque eu sei o que é a gente amar o trabalho, mas nem tudo depender da gente!!! Mas as oportunidades aparecem quando estamos prontos para ela. Existe até uma expressão que eu ouvi no filme “Nosso Lar” que diz o seguinte: “Quando o trabalhador está pronto, o trabalho aparece”. E acredite, é isso mesmo!!!

    Bjãoooooooozaãoooooooo

  3. Olá Tiago! Resolvi lhe fazer uma visita! hehehe Muito bacana o post, dá pra sentir que você está tão pleno de diferentes sentimentos e percepções sobre o mundo que fica até difícil de ordenar e expressar as idéias linearmente… Mudanças tão grandes fazem isso!

    Mais legal ainda ver que você está gostando! Moçambique poderia parecer tão ‘exótico’ a cinco segundos atrás né não?! Agora que você respira, come, fala, toca… A cabeça parece que expande! Eu sinto um tantinho disso, em proporções bem menores e em realidades bem diferentes claro, aqui na minha experiência baiana, com as comunidades…

    Lhe escrevo porque curti um comentário seu, sobre a pureza cultural de Moçambique. Quando você voltar gostaria de te convidar a vir à Bahia, que é o estado do país onde a cultura afro está mais enraizada e presente. Acho que seria muito rico você constrastar olhares da sua experiência de um lado e de outro da dita diáspora africana. Por mais que (pelo que tenho entendido) as tribos que vieram escravizadas não tenham sido da região em que você vive, dá um samba legal esse pensar. Já ouvi dizer que como a cultura afro é expressada aqui é super diferente da cultura original tribal, tem muitos signos que simplesmente não existem na África.

    Forte abraço e muitas felicidades!

  4. Quando eu decido ler um blog, de viajantes o teu é sempre a primeira escolha.

    Pelo que eu li, eu não sei se tu é meio parecido comigo, ou se isso é um comportamento padrão de que quem viaja. Claro, eu estou chegando apenas a metade do que tu ja viveu no teu X mas o cara saca como as coisas vão mudando.

    Aquilo que tu escrever sobre a gestão da instabilidade emocional é muito real. Ontem eu estava tão feliz, pois via o meu apartamento cheio, todas as pessoas que moram comigo são fantasticas e ja começa a bater aquela saudade antecipada. Mas tem dias, que eu quero sair jogando indiano trem a fora.

    Do que tu escreve ai, e pelo que me identifico, tu vai voltar para o Brasil e arrumar uma namorada de um tempo recorde. hahaha

  5. OI Tiago!!
    Desde o primeiro post que li (faz algum tempo) simplismente amei!!!!
    Amo, admiro pessoas apaixonadas pelo que fazem, sentir emoçoes tão fortes, complexas e extremas!!!
    Aqui no Brasil (Novo Hamburgo-RS) ou em qualquer canto do mundo oque faz a diferença é nossa PAIXÃO pelo que fazemos. Esse sentimento expressado já faz de cada um, uma pessoa especial e marcante.
    Desejo muitos momentos intensos e carregados de paixão, momentos que vão estar marcados na sua VIDA.
    Obrigado por compartilhar tanta PAIXÃO!
    Deus abençõe!!

  6. E ae meu caro,

    Mega me identifiquei com isso:
    – É difícil para algumas pessoas se colocar no lugar dos outros ou aceitar o perfil de cada pessoa. Existe uma tendência enorme das pessoas imprimirem seus próprios sentimentos e anseios nas outras, esperando que todos reajam e principalmente ajam de acordo com o que elas acham que deveria. Perfil normal do ser humano, que na verdade eu pensava que mudava ao decorrer da idade… Acho que só para alguns.

    Muito bem dito. E essa mudança de perfil me lembrou uma parada que estou estudando sobre fases da vida. ;D

    Abração e logo nos vemos no Brasil!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s