Arquipélago de Bazaruto (2)

Mas que tal?!

E lá se vamo nós para mais uma história que se repete… Novamente, resolvi encarar uma viagem até a cidade de Vilanculos, na província de Inhambane, para visitar o Arquipélago de Bazaruto. Desta vez o motivo foi mais do que especial… Além da minha mulher, a Lissa, não ter conhecido aquele lugar ainda, nossos pais estão em Moçambique nos visitando.

Família toda. Só alegria!
Família toda. Só alegria! Antenor, Mara, Lissa, Eu, Nilza e João.

Quando eles decidiram nos visitar, ficamos pensando em vários lugares e viagens para fazer. Porém, como a idade pesa um pouco, não poderia ser muito complexo. Depois de muito avaliar as diversas opções, optamos por Vilanculos pela “praticidade”, beleza e “proximidade”. Viajar de Tete não é muito fácil quando se está em 6 pessoas: Ou tem que alugar 1 carro e ir em 2, o que é caro, ou ir de avião (o que é muito caro e gasta mais tempo ainda devido as conexões por Maputo).

Seguimos algumas recomendações e escolhemos ficar no hotel Villas do Índico (http://www.villasdoindico.com/), entre Vilanculos e Inhassoro, onde fomos incrivelmente bem recepcionados pelas Hostess (Natasha e Lucía) e por todo o staff do Hotel. Contratamos junto ao hotel um transporte que nos pegou e nos trouxe de volta entre Tete e Vilanculos, um serviço muito interesse e por um preço muito bacana. O veículo (Land Rover Defener) cabia 7 pessoas (nós 6 mais 1 motorista), porém não é um veículo confortável para uma viagem de mais 860 km e com 4 pessoas mais de idade (onde o corpo não é tão resistente a torturas quanto os nossos jovens). Além disso, tivemos um pequeno detalhe que o carro não tinha ar condicionado, o que apesar de nos assustar inicialmente, acabou não pesando muito durante a viagem, já que o vento refrescou bem o veículo e a temperatura ajudou bastante durante a viagem.

Saimos de Tete em uma Terça-feira as 21h45min e chegamos no hotel na Quarta-feira em torno de 11h. Importante frisar, que diferente da outra vez que fui, praticamente todo o trecho da estrada entre Tete e Vilanculos está MUITO bom. Você pode viajar tranquilamente que grande parte da estrada foi reformada. Apenas um detalhe, caso você deseje ir com seu próprio carro e ficar no mesmo hotel que eu, o trecho entre Vilanculos e o Hotel Villas do Índico é óbrigatório um carro 4 X 4, já que tem muita areia e o terreno é bem irregular.

Um destaque da viagem foi o nosso motorista, Jeremias (Ou Genésio, como meu pai insistia em chama-lo) que aguentou a viagem durante a noite inteira sem pregar o olho. Resistência impressionante.

Algo interessante a ser comentado, e que quase fez a gente cancelar a viagem, foi uma questão política/militar que tem acontecido em Moçambique.

Moçambique ainda é um país de governo militar, onde os partidos políticos (FRELIMO e RENAMO) são antigos exércitos e hoje ainda atuando como um. O que aconteceu foi que um dos paiols (depósito de armas) da FRELIMO (partido atualmente no governo) foi atacado e saqueado e durante esse ataque 6 pessoas foram mortas. Depois disso começou uma troca de ataques entre os partidos alguns civis (SIM, pessoas normais) foram mortas pertos da base da RENAMO (em Gorongosa – caminho entre Tete e Vilanculos) e a FRELIMO começou a proteger o este trecho, de em torno de 120 km, escoltando os carros nas duas direções, 2 vezes por dia.

Imagina eu, gringo, branco e barbudo, levando meus pais para um paraíso, ter que passar por uma área praticamente de guerra? Não parece a viagem dos sonhos de ninguem, né? Quando descobrimos isso, fizemos uma pesquisa e vimos que tudo esta mais calmo e por isso achamos que contratar o transporte do hotel, com alguém que já conhece a região e já passou diversas vezes pelo trajeto da escolta, seria uma boa idéia para chegar em segurança e sem estresse em Vilanculos.

Depois disso, foi só aproveitar.

Villas do Índico
Villas do Índico
Villas do Índico - Quartos
Villas do Índico – Quartos
Villas do Indico
Villas do Índico
Villas do Índico
Villas do Índico

ARQUIPÉLAGO DE BAZARUTO

Não vejo por que repetir o que eu já escrevi AQUI! depois da minha primeira visita em Vilanculos / Bazaruto, por isso dessa vez vou focar em falar pouco e mostrar foto das 2 viagens que fiz: (1) Ilha de Bazaruto + Benguerra e (2) Ilha de Santa Victória.

Apenas para não dizer que deixei vocês sem nada aqui, segue os links para a reportagem que a rede Globo fez sobre Bazaruto em um globo repórter especial sobre Moçambique:

GLOBO REPORTER ESPECIAL SOBRE MOÇAMBIQUE

Fizemos cada uma das viagens em um dia diferente, no barco do próprio hotel. Muito importante frisar a diferença entre este barco e outro que me levou daquela vez. O barco do hotel é muito bom, pequeno, e rápido. Faz os percursos entre o continente e as ilhas rapidamente e dá uma segurança e um tempo bom para aproveitar bem os tempos nas ilhas. Quando você for visitar as ilhas em Vilanculos, tenha certeza que contratou um barco bom (pelo menos 2 motores) para ter certeza que chegará rapidamente e sem perigos até o outro lado.

Ilha de Bazaruto + Ilha de Benguerra

Nosso primeiro destino foi a ilha de Bazaruto, onde pudemos brincar um pouco pela dunas de areia, depois passeamos na beira do mar e logo em seguida seguimos para uma área de corais no meio do mar para fazer snorkling.

Saída em direção ao barco
Saída do hotel em direção ao barco
Os morros de areia da ilha que dá nome ao arquipélago, Bazaruto.
Os morros de areia da ilha que dá nome ao arquipélago, Bazaruto.
Vista das águas do oceano, de cima dos morros de areia de Bazaruto
Vista das águas do oceano, de cima dos morros de areia de Bazaruto
Subindo o morro de areia.
Subindo o morro de areia. Sim, ele é beeem longo!
:DD
Verificando a paisagem com o véio!
Esforço coletivo para chegar ao topo!
Esforço coletivo para chegar ao topo!
Um pouquinho de descanso no caminho...
Um pouquinho de descanso no caminho…
:)
🙂
:)
Veiarada passeando pela beira do mar.

Logo após o snorkling, fomos em direção a ilha de Benguerra e montamos nossas barracas (mentira, o Mario montou pra gente) e nos preparamos para almoçar. Alguns continuaram nas águas, outros beberam, outros caminharam… E assim fomos aproveitando o dia.

Pessoal pelo barco :)
Pessoal pelo barco 🙂
A bela ilha de Benguerra.
A bela ilha de Benguerra.
Até o barco estacionado é lindo.
Até o barco estacionado é lindo.
Todo mundo.
Todo mundo.
Bazaruto visto da ilha de Benguerra
Bazaruto visto da ilha de Benguerra
A mãe encontrou uma utilidade muito boa para um coral de 19milhões de anos. Lixar o pé! ahahah
A mãe encontrou uma utilidade muito boa para um coral de 19milhões de anos. Lixar o pé! ahahah
No final ainda encontramos alguns golfinhos circulando pelo mar. Sempre bonito ver esses animais espertos!
No final ainda encontramos alguns golfinhos circulando pelo mar. Sempre bonito ver esses animais espertos!
Mais de pertinho...
Mais de pertinho…

Ilha de Santa Carolina

Essa eu vou falar um pouco mais, pois da outra vez que fui a Vilanculos, não fui até esta ilha, e vou lhes dizer, esta é A ilha do arquipélago.

Também conhecida no inglês como Paradise Island (Ilha do Paraíso), dá pra entender muito bem o que eles querem dizer com este nome. A Ilha é muito pequena, sendo possível dar a volta completa na ilha em mais ou menos 1 hora. Dizem ser a única ilha original do arquipélago, as outras surgiram como bancos de areia que foram crescendo. Interessante, né?

A realidade é a seguinte: Ela é DISPARADO a ilha mais BONITA do arquipélago todo. Pensa naquele mar azul turquesa (nem sei que cor é essa, mas sempre dizem isso para aquele mar), pense num local vazio, privativo, ÚNICO. Essa é a Ilha de Santa Carolina.

A muito tempo atras (antes da guerra civil) um hotel começou a ser construído na ilha, porém, durante a guerra a construção foi abandonada e a ilha como um todo acabou abandonada. Hoje a ilha é cheia de prédios abandonados e tem uma ar e fama meio fantasmagórica. Todo mundo que vai passar um tempo lá está hospedado em alguma outra ilha ou na cidade de Vilanculos/Inhassoro.

Pelo que eu li, a rede de hotéis Rani Resorts comprou o direito de construir um novo hotel na ilha junto a um investidor estrangeiro. Será um hotel de luxo e não vi previsão para as obras começarem. Com certeza será um lugar muito válido de ir.

Interessante comentar que quando eu fui, não pesquisei muito. Aproveitei a ilha, dei uma leve volta e tudo ok. Depois quando cheguei em casa, pesquisei e fui olhar o Google Maps, e notei que a ilha tem bem no seu centro uma pista de pouso para aeronaves, o que será ótimo para quem quiser ir para lá, sem depender de barcos.

Só para deixar claro, fomos de barco, a viagem durou em torno de 6o min e pegamos um mar BEM agitado, digamos que foi a pior parte do dia todo. Já na volta pegamos o mar tranquilo e foi uma maravilha só.

Agora entendam o por que do nome “Paradise Island“.

Veja bem!
Veja bem!
Paradise Island
Paradise Island
Paradise Island
Paradise Island
Achamos até algumas túmulas. Será?
Achamos até alguns túmulos!
As construções abandonadas da ilha.
As construções abandonadas da ilha.
Me parece a capela da ilha.
Me parece a capela da ilha.

Aproveitamos para fazer um álbum da família nesse lugar HORRÍVEL!

Todos juntos!
Todos juntos!
Só os homens *(incluindo o Mario, o piloto do barco)
Só os homens (incluindo o Mario, o piloto do barco)
Só as mulheres...
Só as mulheres…
Um lugar realmente muito feio!
Um lugar realmente muito feio para descansar!
E para namorar... :P
E para namorar… 😛
Nova moda de ilha de Vila Carolina
Nova moda de ilha de Vila Carolina
Um lugar realmente muito feio para passear. O outro lado da ilha, tão feio quanto o outro.
Um lugar realmente muito feio para passear. O outro lado da ilha, tão feio quanto o outro.

Depois de descansarmos, fomos para o outro lado da ilha, para fazer Snorkling novamente. Era realmente MUITO bonito.

A área de fazer snorkling.
A área de fazer snorkling. Feio, né?
O pai tava preparado pra pular. Só não pulou... aehueuahhuea
O pai tava preparado pra pular. Só não pulou… aehueuahhuea
Paraíso, né?
Paraíso, né?
Uma pena não dar para tirar fotos embaixo d'agua, dai vocês realmente iam entender...
Uma pena não dar para tirar fotos embaixo d’agua, dai vocês realmente iam entender…
Mário, o nosso guia/piloto/chef e por aí vai...
Mário, o nosso guia/piloto/chef e por aí vai…

Depois dessa experiência maravilhosa na ilha de Vila Carolina, voltamos ao hotel e aproveitamos mais um dia de descanso. Tomamos chimarrão (afinal, somos todos gaúchos e a Lucía é Argentina), comemos, arejamos e literalmente, descansamos de verdade em frente a um mar maravilhoso em um hotel de excelente qualidade.

Família reunida para o tradicional mate de fim de tarde.
Família reunida para o tradicional mate de fim de tarde.
Sempre fomos bem acompanhados pela cadelinha do hotel. Figurinha calma e companheira.
Durante os momentos, sempre fomos bem acompanhados pela cadelinha do hotel, a Ziggy. Figurinha calma e companheira.

Ainda pra completar, corremos contra o tempo para ir ver o por do sol nas dunas de areias vermelhas “perto” do hotel.

Vilanculos
Vilanculos
O por do sol
O por do sol
E nós! :)
E nós! 🙂

E assim se encerra mais uma aventura por Moçambique. Foi uma viagem mais que especial por contar com as pessoas que mais amamos nesse mundo, nosso pais. Isso fez toda a diferença e realmente foi uma viagem para entrar pra memória como uma das melhores viagens da minha vida. Espero que todos tenham tido a mesma percepção.

Altamente recomendado para todos! 🙂

Tiago

Anúncios

4 comentários sobre “Arquipélago de Bazaruto (2)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s