Símbolo de Tete

Buenas,

Ao andar de carro pela cidade uns dias atrás, fui alertado pelo Alexsandro Cota (meu colega de trabalho) sobre uma figura desenhada em um muro de um ginásio de esportes em Tete, a figura é esta aqui:

C.M.C.T.
C.M.C.T. – Conselho Municipal da Cidade de Tete

A imagem é o simbolo do Conselho Municipal da Cidade de Tete. Basicamente, este é o símbolo de Tete. Eu quis mostrar esse símbolo aqui por que eu acho que ele fala muito da cidade…

Com certeza para publicitários ou Designers esse símbolo pode ser considerado algo muito simples ou até infantil, já que ele nada mais é do que uma junção de coisas que representam a cidade, mas acho que isso mostra exatamente como as coisas ainda são simples por aqui. Tudo remete ao básico (fora a telefonia celular, que já chegou até rede 4G aqui). Vamos falar um pouquinho desse símbolo:

1) O Cabrito

Cabritos!! Por todos os lados. Essa é a realidade!
Cabritos!! Por todos os lados. Essa é a realidade!

Lembrem que muito tempo atrás eu falei que Tete é conhecida como a Cabritolândia? Pois é, Tete é lotada de cabritos para todos os lados e é uma grande exportadora de Cabritos para toda a Moçambique. Engraçado é que a exportação acontece de uma forma bem “tosca”. Os cabritos são exportados por avião, mortos, amarrados e embalados dentro de caixas de papelão normal.

Hoje em dia, tenho visto muito pouco isso, até por que tenho viajado muito pouco de LAM (Linhas aéreas de Moçambique), mas era muito normal nas viagens, nossas malas ficarem todas sujas de sangue devido a pacotes despachos que vazavam sangue no meio do avião. Espero que isso já tenha mudado… Além de sujar nossas malas, não é a maneira correta de se transportar carne, né?

Um coisa muito interessantes sobre os cabritos, é que o povo mais do interior, que moram em vilas, criam muitos cabritos, mas praticamente não os comem. Grande parte dessa população utiliza os cabritos como moeda de troca por outros produtos (milhos, energia, telefone, etc). Para muitos, a quantidade de cabritos que você tem, indicam seu poder aquisito ou seu “status”.

Aqui existem diversos pratos feitos com a carne de Cabrito, mas o melhor que eu já comi é o cabrito assado no fogo de chão, feito por um grande amigo, gaúcho, morador aqui de Tete. Bruno Schmidt é o rei do cabrito no fogo de chão.

2) O Embondeiro (ou Baobá)

O Embondeiro ou Baobab, outro dos símbolos de Tete.
O Embondeiro ou Baobab, outro dos símbolos de Tete. E eu, é claro…

A árvore Embondeiro (também conhecida como Baobab no Brasil) é um simbolo da África em geral, mas é em especial um símbolo da cidade de Tete. De todos lugares que eu visitei aqui em Moçambique, Tete é o lugar com o maior número de embondeiros.

Embondeiro é uma arvore bonita e sombria ao mesmo tempo. Quando com folhas, transparece uma potência no meio das arvores, graças a seu tronco grosso (e oco, cheio de água) que se destaque no meio de todas outras árvores. Quando sem folhas, em época de secas, parece uma arvore amaldiçoada, de filmes de terror, legítima de filmes de terror, devido aos seus galhos secos, dispersos e sem nenhuma folha.

Aqui, reza a lenda que o embondeiro foi uma árvore ingrata pelo criador e por isso foi plantada ao contrário, com as raízes pro céu. Quando tu olha para ela em época de seca, sua copa realmente parece raízes no céu. E é exatamente isso que causa seu aspecto sombrio.

Na cultura local, acredita-se que os embondeiros guardam os espíritos dos mortos, por isso, em parte, seu aspecto sombrio e também por isso é algo de valor para o povo local. O embondeiro é muitas vezes o “portal” de contato dos Régulos (líderes espirituais locais) com os espíritos. Por isso, derrubar um embondeiro não é uma tarefa fácil… Além de ser uma arvore grossa, para derrubar um embondeiro é necessário ser feita uma cerimômia pelo Régulo para que os espíritos daquela árvore sejam liberados e que os próprios espíritos estejam de acordo com o processo. Não fazer isso, faz correr o risco de gerar insatisfação dos espíritos que acabam afetando no bom andamento da vida na região…

O embondeiro é uma arvore que merece respeito, tanto pelo respeito a cultura local, quanto pelo o que a arvore é na natureza (capacidade de armazenar agua e resistir a longos períodos sem chuvas ou irrigação, e durar muuuitos anos).

3) O Rio

O rio Zambeze é uma marca da cidade de Tete. Uma das principais pontes de Moçambique está na cidade de Tete e atravessa ele (inclusive, atualmente é a única forma de atravessar o rio pela cidade). Além de bem grande (mais de 500m) ela é linda (conforme pode se ver na foto acima).

Na verdade, o Rio Zambezi é um dos principais rios da África, ele começa em Zâmbia e termina no Oceano Índico. Algumas das principais hidroeletricas estão montadas nele ou em seus afluentes.

Na descrição sobre ele na Wikipedia fala muito de sua importância:

Com um total de 2.750 km de comprimento, o Zambeze nasce na Zâmbia, a 30 km da fronteira com Angola. Entra em território angolano no Cazombo e sai a sul do Lumbala-Caquengue, sempre no município do Alto Zambeze, província do Moxico. A sua importância em Angola é devida principalmente à extensa bacia hidrográfica de 150.800 km² apenas em território angolano. Todos os rios no quadrante sudeste de Angola são afluentes do Zambeze. O rio, depois, estabelece a fronteira entre a Zâmbia e o Zimbabwe e atravessa Moçambique de oeste para leste, para desaguar no Oceano Índico num enorme delta. A parte mais espectacular do seu curso são as Cataratas Vitória, as maiores do mundo, com 1708 m de extensão e uma queda de 99m. Este monumento natural foi inscrito pela UNESCO em 1989 na lista dos locais que são Património da Humanidade.

O Zambeze tem ainda outras quedas de água importantes, entre as quais as Cataratas Chavuma, próximas da fronteira Angola-Zâmbia e as Ngonye Falls, perto de Sioma, na região ocidental da Zâmbia.

As planícies de inundação do Zambeze, também no oeste da Zâmbia, são a terra do povo Lozi, cujo chefe tem duas “capitais”: Lealui e Limulunga. No tempo das chuvas, a corte dos Lozi muda-se para Limulunga, que não fica inundada e este evento é considerado uma das grandes festividades da Zâmbia, o Kuomboka.

Existem duas grandes barragens no rio Zambeze: Kariba, na fronteira entre a Zâmbia e o Zimbabwe (e gerida conjuntamente) e Cahora Bassa, em Moçambique. Estas barragens são uma das maiores fontes de energia eléctrica para a sub-região da África Austral e as suas albufeiras são igualmente palco de importantes pescarias. Wikipedia

Em um local seco e pobre como Tete, o rio traz vida e esperança para a região. Além da água, a pesca, navegação e tudo que um rio fornece, suas margens mudam muito o aspecto da região.

4) A Casa de Bombas

Sinceramente, a casa de bombas ainda é uma incógnita para mim, por isso fica difícil falar muito sobre ela. Nunca ninguem me falou sobre ela direito e eu há vi na beira do rio alguns tempos atrás.

Hoje ela não funciona mais, mas acredito que por muito tempo bombeou agua do rio para a cidade. Hoje é apenas uma pequena casinha abandonada, a beira do rio Zambeze, em um terreno completamente abandonado e mal cuidado. Uma pena que pareça que um dos itens símbolo da cidade estejam nesse estado.

A casa de bombas e o Rio Zambeze, dois símbolos de Tete
A casa de bombas e o Rio Zambeze, dois símbolos de Tete

5) Os morros e as antenas

A região aqui de Tete não é tão montanhosa quanto a dos países na redondeza. Se você analisar Zâmbia e Zimbábue (Antiga Rodésia), eles são muito montanhosos e muito pedrosos.

Aqui em Tete existe um grande morro que tem destaque no horizonte e onde ficam algumas das principais antenas da cidade. Eu nunca cheguei a ver quais são as antenas, mas desconfio serem de rádio e telefonia. E isso indica muita coisa por aqui.

Em Tete, o meio de comunicação mais eficiente, diferente do Brasil, é o rádio. Sempre quando se quer fazer uma campanha para atingir a maior parte da população, procura-se pelo rádio. TV é um bem de alto valor e não tão difundo na grande parte da população.

Além disso, telefonia celular aqui é algo de acesso muito fácil a toda população. Ter um telefone, dois, ou até três é bastante normal em todas as classes sociais. Mesmo o povo que não tem acesso a energia elétrica tem celular e muita vezes o carrega em troca de um cabrito. Entenderam o que eu disse antes?

Além das antenas, é desse morro que conseguimos ver um dos mais bonitos por-do-sol aqui na região. Se você olhar neste post aqui, você pode ter uma noção.

Um dos primeiros registros do por do sol que tive aqui em Tete, de cima do morro das Antenas.
Um dos primeiros registros do por do sol que tive aqui em Tete, de cima do morro das Antenas.

Parece engraçado e simples, mas realmente, esta imagem com o logo da cidade de Tete representa muito da realidade local e do que podemos encontrar por aqui.

Abraços.

Tiago

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s