Hong Kong

Bueeeeenas!

Vamos completar um pouco mais a história do oriente? (Pra você que possa ter chego agora, esse post é continuação do post (DOTS CONNECTED – Beijing). (Resolvi separar Macau de Hong Kong, pois tava ficando grande demais… hehehe

Hong Kong

Então mudando do saco pra mala, Hong Kong é outro lugar. Quando digo outro lugar, é por que realmente é uma coisa completamente diferente de Beijing. Eu realmente acredito que quando tu vai pra China, vale a pena ir nos 2 lugares para tu sentir como é as duas experiências. Eu já falei de Beijing, então vou focar nas minha impressões sobre Hong Kong. A claro, nas grandes diferenças entre os 2 lugares.

Hong Kong é em outra ponta da China, totalmente diferente e distante de Beijing (2h e pouco de avião). Segue a descrição:

Mapa da China, olhe Beijing lá em cima e Hong Kong e Macau aqui embaixo.

Hong Kong (aportuguesado como Honguecongue[nota 1] (chinês: 香港) é uma das duas regiões administrativas especiais(RAE) da República Popular da China (RPC), sendo a outra Macau. Uma cidade-estado[5] situada na costa sul da China e delimitada pelo delta do Rio das Pérolas e pelo Mar da China Meridional,[6] é conhecida por seu horizonte repleto de arranha-céus e por seu profundo porto natural. Com uma área de 1,104 km² e uma população de sete milhões de pessoas, Hong Kong é uma das áreas mais densamente povoadas do mundo.[7] A população da cidade é composta por 95% de pessoas de etnia chinesa e 5% de outros grupos étnicos.[8] A maioria chinesa Han da cidade é originária, principalmente, das cidades deGuangzhou e Taishan, na vizinha província de Guangdong.[9]

Hong Kong se tornou uma colônia do Império Britânico após a Primeira Guerra do Ópio (1839-1842). Originalmente confinada àIlha de Hong Kong, as fronteiras da colônia foram estendidas em etapas para a Península de Kowloon em 1860 e, em seguida, para os Novos Territórios, em 1898. Foi ocupada pelo Império do Japão durante a Guerra do Pacífico, após a qual o controle britânico foi retomado até 1997, quando a China reassumiu a soberania da cidade.[10][11] Wikipedia

1) Hong Kong é uma megalópole super desenvolvida. A impressão que tu tem lá, é que tu está em uma Nova Iorque da China. Eu nunca fui para Nova Iorque, mas é a impressão que tu tem. Prédios altos, desenvolvimento grande, tudo acontecendo frenéticamente, comércio louco e, como de costume, muitos chineses.

2) A cidade tem tudo o que se esperar de uma cidade grande. Transporte público eficiente, uma diversidade absurda de restaurantes, locais para compras, vida noturna agitada (apesar do velho aqui não ter conseguido pegar nenhuma balada) e tecnologia para tudo que é lado.

3) Diferente de Beijing, os pontos turísticos de Hong Kong não são tão históricos, são mais de cidade grande mesmo. Prédios de mais de 100 andares, vistas lindas, show de luzes nos prédios, restaurantes, ruas de shopping e por ai vai.

4) Também diferente de Beijing, Hong Kong é o paraíso das compras. Se você é um nerd/geek como eu, você possivelmente vai surtar. Se você tem interesse em gastar, prepare o bolso. Por que por mais que as coisas sejam baratas, tu vai querer comprar aos litros. Os preços são parelhos com preços que se pagam nos USA em eletrônicos, grande parte das vezes mais barato ainda!

5) Para mim, a sequência que fizemos na viagem para lá foi perfeita. Beijing tu caminha feito loco, conhece 1 trilhão de pontos turísticos históricos e cansa bastante. Já Hong Kong tu vai pra viver uma vida de cidade grande mesmo. Ir fazer compras, comer em restaurantes bons, cinema, teatro, seja lá o que tu quiser. É bom de fazer em sequência a Beijing pois é um lugar que tu pode descansar enquanto está lá. Chega de Beijing cansadaço e aproveita pra descansar e ter uma vida de patrão em Hong Kong. Vai dizer que não parece uma boa idéia?

6) As pessoas. Elas são muito diferentes. Lá, tu não é um ET. ehhehe É impressionante, mas Hong Kong é uma cidade realmente cosmopolita e a diversidade de raças, cores e tamanho de olhos é muito claro lá. Lá, até por eles terem sido colônia inglesa, eles estão muito acostumados com Ocidentais e também praticamente tudo está em Inglês e Cântones. Basicamente todo mundo fala inglês, ou seja, se locomover e se achar é muuuuito mais fácil.

7) O período que viajamos para a China, era época de Monções e Tufões. Em Hong Kong, sentimos pertinho o que é um aviso de tufão. Mas falaremos disso mais abaixo.

8) Assim como Beijing, não fizemos um planejamento para visitar a cidade, então acredito que possamos ter perdido muita coisa legal por lá. Mas o que cada um tinha em sua lista, conseguimos cumprir! 🙂

9) Eu comprei uma lente nova pra mim em HK, para a câmera. Resultado: Passei a viagem inteira testando a lente e não me dei por satisfeito pelo resultado nas fotos. Preciso treinar em usar uma grande angular…. ehehhe

Basicamente, o que fizemos lá foi: 1) Prédios/Paisagens, 2) The Peak, 3) Bubba Gump, 4) Light Show, 5) Avenue of Stars e 6) Encontrar amigos. Bora lá:

1) Prédios, Paisagens

Simples. Hong Kong é famosa por ter vistas MARAVILHOSAS. Olha isso…

Não, não fui eu que tirei essa foto… Não deu para eu ir no “The Peak” a noite…. Tufão, sabe?

Pois é, a vista lá é linda e tu pode ver de diversas direções. De cima do “The Peak”, do outro lado da Baía (Kowloon) e de cima de qualquer prédio. A cidade realmente exagera na iluminação e isso é realmente um deleite para os olhos.

Eu e a Renata era engraçado. Eu babava olhando os prédios altos (bem guri do interior e que continua morando no interior). Ela simplesmente ignorava eles e não achava nada demais (afinal, guria de cidade grande). Eu me divertia… ehehhehe

Prédios e mais prédios. Altos, MUITO altos… Bank of China Tower e Cheung Kong Center
Um dos prédios mais altos de HK. Internationl Finance Center. (IFC)
ICC – International Commerce Center, o prédio mais alto de Hong Kong, do outro lado da bacia, em Kowloon.
Vista de cima do ICC (Centésimo andar)
Por do sol visto de cima do ICC
Os 10 prédios comerciais mais altos do mundo. Eu tava ali no quarto prédio 🙂

2) The Peak (O Pico)

O The Peak é um ponto de Hong Kong onde tu consegue ver toda a cidade lá de cima. Existem varios restaurantes e tem, com certeza, a melhor (ou segunda melhor, depende do seu gosto) visão da cidade de Hong Kong.

Lá em cima, encontramos uma conhecida da Renata, brasileira que mora em Hong Kong, e que nos mostrou a região e também nos deu o prazer de jantar na sua casa em uma das noites. A Daisy foi uma pessoa muito legal e que nos passou muito a perspectiva de um brasileiro morando por lá, além de claro, nos fazer recomendações e dar conselhos sobre a cidade. Surpresa muito agradável, inclusive por ter feito uma comida brasileira para a gente a noite. 🙂

Uma coisa muito legal do The Peak, é que existe um caminho de em torno de quase 3 km, que tu pode atravessar o morro de um lado a outro (uma das partes dele, é claro) e dá pra ti ter uma visão completa da área. Vale muito a caminhada.

O The Peak é uma zona muito nobre da cidade e pelo que ouvi falar, um dos metros quadrados mais caros do planeta. Que coisa, né?

Peak Tower, o principal prédio em cima do The Peak. Ai que fica o Bubba Gump, restaurante que falarei mais abaixo.
Hong Kong de dia, vista de cima do The Peak. Nessa foto dá pra ver claramente a bacia, tu consegue atravessar de um lado para o outro de metro. O lado de lado é o famoso Kowloon.
Daisy, Renata e Eu no The Peak.

3) Bubba Gump

Bubba Gump é apenas um restaurante, mas ele tem toda uma história. Lembram do filme Forrest Gump? Pois é, no filme um amigo dele sabia cozinha muito bem camarões e sonhava e ter um restaurante… E por aí vai.

O restaurante é todo baseado no filme e é bem gostoso. Obviamente, a especialidade é Camarão, o que eu não posso comer por que sou alérgico. Mas mesmo assim fui e experimentei uma galinha com qualquer coisa… Uma das coisas mais legais é que o visual do restaurante é show de bola, afinal, tu está em cima do The Peak, dentro do Peak Tower. Uma bela vista da cidade (que vocês já viram nas fotos acima).

Bubba Gump (lembram do banco do Forrest Gump?)

4) Avenue of Stars (Avenida das estrelas)

Avenue of Stars é tipo uma calçada da fama em Hong Kong. Ela fica em Kowloon no Victoria Harbour, exatamente onde tu pode ver a cidade do outro lado da baía e também ver o show de luzes (mais abaixo).

Assim, a calçada não tem nada demais, né? São estrelas na calçada, algumas estátuas/monumentos lembrando o cinema e poucas estrelas de atores/atrizes realmente conhecidas para nós ocidentais. Ali tem Bruce Lee, Jackie Chan, Jet Li, entre outros não muito conhecidos para nós (não para mim, pelo menos).

Um praça em Victoria Harbour
Avenue of Stars
As estrelas
Essa era a estrela do Jackie Chan. 😀 Eu gosto dele, o cara é engraçado. E a cidade lá do outro lado.
Avenue of Stars
Famosa estátua do Bruce Lee. Olha o climão da tia ali do lado direito… 😛

5) Light Show (Show de luzes)

Tá aí uma decepção. Uma das coisas mais famosas de Hong Kong é o tal show de luzes da cidade, visto do Victoria Harbour (Kowloon). A cidade é linda vista de lá, mas o show de luzes não tem nada além do que já é a vista.

As luzes dos prédios acabam “dançando” em ritmo de uma musiquinha bem animada, mas sinceramente? Nada demais. Vale muito a pena ir até Kowloon ver a cidade daquela região, mas não se preocupe se você for até lá e não conseguir ver o show de luzes. Nada demais… Mesmo assim, não deixa de ser legal ficar sentado pensando em nada e vendo a vista…

Mas uma coisa muito engraçada aconteceu, no meio do show de luzes, um troll resolveu passar bem na frente (olha a segunda foto ahahahah)…

Hong Kong vista de Kowloon ( O show de luzes não é nada muito diferente desta vista)
Pense na mente maligna do comandante. O show dura 10 min, e o cara me resolve passar BEM NO MEIO do show? Só pode ter sido friamente calculado! 😛 (qualidade da foto horrível, mas tá valendo ahahah)
Essa é só para mostrar a Renata de óculos, com cara de intelectual! ahaehuuahe

6) Amigos

Tenho que admitir que essa foi uma das coisas mais legais de estar em Hong Kong. Eu tinha um amigo que queria muito visitar, o Cyrus Mak, pois ele tinha morado no Brasil e nós tinhamos viajado junto as Cataratas do Iguaçu e eu queria retribuir a visita ao país. Mas na verdade Hong Kong se tornou um ponto de encontro com varias pesssoas.

Lá acabei encontrando o Cyrus, conhecendo um casal muito gente boa de chineses, Alvin e Geralynn, que, acreditem, eram amigos de um amigo da Renata e logo que encontrei eles, descobri que ambos tinham sido da AIESEC e que inclusive conheciam muito bem o Cyrus.

Além disso tive o prazer de encontrar a Lia Procati, amigona dos tempos de AIESEC e a Amanda Venturini que havia feito intercâmbio na Índia e tava por lá viajando também. Por último, mas não menos importante, no último dia em Hong Kong, descobri que uma amiga que conheci durante meus tempos em Rotterdam estava morando de volta a Hong Kong. Só deu tempo de almoçarmos junto e foi isso, mas já foi ótimo! 🙂

Nessas horas que eu vejo por que eu amo tanto ter participado da AIESEC, onde no mundo eu ia atravessar o mundo e encontrar amigos por lá?? Inesquecível!

Cyrus, Renata, Eu, Lia e Amanda. Num barzinho pouco antes de recebermos o alerta nível 8 de tufão. Encerramos os trabalhos e corremos antes do metro fechar! ehehhe
Yat Wan, it was great to meet you!

Vou ficar devendo uma foto com o Alvin e a Geralynn pois acabamos não tirando nenhuma foto durante nosso café.

Fora isso tenho mais algumas fotos randômicas de lá que valem a pena postar…

Ruas LOUCAS! Quem consegue se focar na hora de ler?! Detalhe pro come come ali em cima…
Alerta de tufão nível 3. Algumas horas depois ele chegou a nível 8… mas não deu em nada (ainda bem!!!). O que ele fez foi cancelar nossa balada eheheh

Sabia que quando há esse tipo de situação, as empresas de telefonia celular enviam mensagens para todos aparelhos avisando sobre o tufão, informando o nível e seriedade, facilitando que a população possa se proteger. Para entender as escalas de tufão (em inglês): http://en.wikipedia.org/wiki/Hong_Kong_tropical_cyclone_warning_signals

Vocês sabiam que tem mais de 4 tipos de nota de cada moeda em Hong Kong? Cada banco emite a sua, e fica nessa zona aí! ahhaha Achei show de bola!

Além dessas coisas, tivemos o prazer de provar um pouco da culinária cantonesa indo no considerado melhor restaurante de Dim Sum do mundo (que se eu conseguisse escrever o nome aqui eu juro que escreveria. Mentira, achei: Tim Ho Wan) e também indo no restaurante chamado Little Sheep comer Hot Pot, uma comida muito “engraçada” e interessante de comer.

Pra fechar, Hong Kong é um rico lugar. Fiz muitas compras, comi muito bem e gostei muito de ver todos os amigos. Com certeza, se tu vai atravessar o Oceano, vai até lá. Com certeza tu não vai se arrepender.

Então acho que é isso, logo vem um post curto sobre Macau e encerramos a trip na China e seus agregados.

Abração!!!

Tiago

Anúncios

Um comentário sobre “Hong Kong

  1. q massa, eu ia curtir os predios tb! haha
    tche, tu nunca tinha ido no bubba gump em outro lugar no mundo? na na na…
    curti mto essa mistura de predios, luzes e nuvens, fica belo né!!!
    tamo so por macau agoraaa
    kkkkk
    bejoooooo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s