Tanzânia – Dar-Es-Salaam / Zanzibar (Stone Town)

AIZO 2011!!!!!!!

E ai, meu filhos?! Que tal?!

Pois então! Já se passaram INCRÍVEIS 8 dias de 2011. Literalmente, PUTA MERDA. Daqui uns dias já estou comemorando a virada de 2011-2012.

Como é que estão as coisas por ai??!?! Foram bem de virada do ano??!!? Que que aprontaram? Essa minha pergunta tá valendo, por favor, respondam nos comentários! Vou adorar receber notícias de vocês.

OK! Vamos ao que importa. Começando a descrever minha incrível jornada de virada de ano na África. Na verdade estou assustado em como vou escrever sobre tantas coisas e postar tantas fotos sem criar um post gigante! Mas paciência, quem frequenta o blog aqui já está acostumado com posts loooooooooooooooooongooooosss….. ai ai…

Hoje quero falar de um lugar ESPETACULAR, que é Zanzibar na Tânzania. Pra não ser injusto, de tanto que vou escrever, vou começar ele com uma simples foto.

Entendeu quando eu disse espetacular?

Basicamente, esse é o final do passeio, então vou descrever até como eu fui parar nesse lugar. Decidir agora separar os posts, se tu quer só conhecer a praia, pula pro próximo post! 🙂

Zanzibar é uma ilha famosa na Africa, que pertence a Tânzania. É internacionalmente conhecida como uma das praias mais maravilhosas do planeta. E na boa, não quero mais nem ver as praias do meu querido RS. É um lugar espetacular, com paisagens alucinantes e pessoas muito gente boas.

“Zanzibar é nome dado ao conjunto de duas ilhas do Arquipélago de Zanzibar, ao largo da costa da Tanzânia, na margem leste-africana, de que formam um estado semi-autônomo. As duas ilhas são chamadas Unguja (em swahili) ou Zanzibar e Pemba e estão separadas docontinente pelo Canal de Zanzibar.” Wikipedia

Taí o mapa!
Bandeira da Tanzânia

Quem me conhece sabe, eu ODEIO viajar sozinho. Então quando tive a idéia de ir para lá, convidei um grupo de amigos. Nisso a única corajosa para a indiada foi nada mais, nada menos que a minha querida Polaca (ou Lilian Bilinski para os menos íntimos)! Amiga de longa data de Santa Maria que também mora aqui em Moçambique.

Lilian "Polaca"Bilinski | Parceria de fé para qualquer tosqueira...

Depois de alguns problemas com a LAM (Linhas Aéreas de Moçambique) devido a troca de passagens sem avisar e coisas do genero, partimos de Maputo com destino a Dar-Es-Salaam, capital da Tânzania, com escalas em Nampula e Beira (ambos dentro de Moçambique). Para chegar em Zanzibar devíamos pegar outro avião pequeno ou o barco, e então como iríamos chegar tarde, decidimos ficar por Dar-Es-Salaam por uma noite.

Avião na parada em Nampula
Sempre bom ver o Brasil mandando bem em coisas diferentes de esportes e bundas. EMBRAER tem ótimos aviões.
Até a viagem a 18mil pés de altura é mais bonita que no Brasil ahahhaha

Sinceramente? Não curti muito Dar-Es-Salaam. Chegamos lá no final da tarde, pegamos um táxi até nosso hostel e nisso fomos conhecendo a cidade no caminho. Ficamos num hostel chamado Jamboo Inn, bem agradável por seu preço bem baixo. Porém é uma parte da cidade com coisas bem pouco interessantes para ver, então não pudemos aproveitar muito.

Uma coisa que me chamou atenção aqui é que GRANDE parte da população é muçulmana, então nas ruas tu vê muitas mesquitas e pessoal vestido com trajes muçulmanos. Foi interessante ver isso, mas sinceramente não pareci ter a simpatia de grande parte da população daquela redondeza onde estavamos. Em geral, eles faziam cara feias cada vez que passavamos perto de uma mesquita e chegaram até nos parar na rua para perguntar o que estavamos fazendo ali. Respondi simpaticamente para uma senhora que me perguntou o que eu estava fazendo passando na frente da mesquita:

“Estou apenas atravessando a rua, minha filha!”.

Uma das mesquitas de Dar-Es-Salaam
Rua do bairro do nosso hostel.

Uma coisa que me incomodou foi a sujeira gigante da cidade. Achei ela muito feia e muito mal cuidada. Mas lembrando, eu apenas estive em uma parte da cidade, pois não tive tempo para ficar circulando por que estava muito cansado. Espero ter ficado com a impressão errada e quem sabe um dia volto para lá para mudá-la.

Jantamos num restaurante meio doidão, com comida típica de lá, pedi um nome qualquer que estava no cardapia e descobri depois que tinha pedido carne de Cabrito! ahahahah Viva! É a carne com molho perfeita para ter uma bela caganeira. Rezei para o contrário, é claro.

Durmimos no hostel e no outro dia pegamos um barco para ir para Zanzibar. A viagem bem tranquila e agradável. O barco era bem confortável e também é interessante ir vendo a mudança da cor do mar. Ah, uma coisa importante: A gente tava com medo que nossos dias em Zanzibar fossem debaixo de chuva, pois era o que dizia a previsão, mas para nossa sorte, a previsão conseguiu errar TODOS os dias.

Amanhecer em Dar-Es-Salaam, visto já do barco para Zanzibar.
Voo sincronizado.
Mar logo na saída. Muito navios grandes.
Vida difícil!
Bandeira de Tanzania e começa a mudar o mar...
Chegando a Ilha de Zanzibar. Dá uma olhada na mudança da cor do mar.

No caminho tu já vai se impressionando… A agua é lindona lá. Queria entender um pouco mais de biologia pra explicar o por que do mar ser tão bonito lá, mas vou ficar devendo essa parte para vocês.

Vista geral após a chegada. Sentão e tomando café da manhã.
Esse foi o barco que nos levou até a Ilha de Zanzibar.

Bom, agora tinhamos chegado a Ilha de Zanzibar, mais especificadamente em Stone Town (como se fosse a capital da Ilha), que em português quer dizer: Cidade de Pedra. O nome diz tudo, a cidade é toda feita de pedra, construções e tudo mais. Chegamos lá mais perdidos impossível, não tínhamos nos organizados para saber o que queríamos conhecer lá, simplesmente queríamos conhecer o máximo. Inclusive, nosso planejamento foi tão bom, que mudamos de hostel 1 dia antes de ir viajar! ehehehe Notamos que tinhamos escolhido um em um lugar ruim, dai mudamos tudo.

Para nossa sorte, logo na chegada da Ilha conhecemos o Sr. Amour. O SENHOR AMOR!!! AHAHHAHAHHA Tem como não dar risada disso? Então, o Sr. Amour, taxista profissional da ilha e basicamente guia turístico. Ele foi o responsável por nos mostrar toda a Stone Town e também por nos levar no final da tarde até Nungwi, parte da ilha que possui as praias paradisíacas.

Eis o Sr. Amour. AMOR minha gente!! Finalmente conheci o AMOR! AHAHAHAH Minha cara de guri cagado tá ótima!

Stone Town é uma cidade MUITO interessante. É patrimônio cultural da humanidade pela UNESCO e é uma cidade com características muito interessantes. A arquitetura é muito bonita, tudo é feito de pedra (como vocês irão ver nas fotos) com ruas apertadíssimas e tudo amontoado. É uma cidade muito velha, mas muito bonita de conhecer.

Criançada em Stone Town. Na parede vocês podem ver perfeitamente, as construções são de pedras e não de tijolos.
Ruas apertadinhas. Construções velhas. Stone Town
Melhor loja de Stone Town, pelo menos em estilo... hehehe
Muitos nativos adoram sair em fotos! Olha a largura da "rua"... Grande parte de Stone Town tu só consegue conhecer caminhando mesmo, de carro não chega nos lugares...
Crianças locais. Ó o trago do do meio! ahahhhaha
Agora comigo! 🙂 A mochila gigante é da Lilian, viu? ahahahha
Acho muito bonita os trajes muçulmanos
Não só os homens, mas as mulheres também andam com seus devidos trajes.
Mesquitas e mais mesquistas...
Lojinhas de tudo que tu imaginar, tudo no mesmo lugar. Meio tenso até passear por esse lugar! eheheh
Lilian + a feira que vende frutas + toldo laranja = Lilian "Polaca" Laranja
Panos e mais panos... Mantas.
Comida típica que vendem lá na rua. Mandioca assada com pimenta e sal. Bem gostoso. Ganhamos de presente do Amour.
Lilian relaxando as costas do peso da mochila, esse foi o restaurante que almoçamos!

Amour nos levou nos principais pontos turísticos, mas o principal foi o Museu da Escravidão. Agora um pouquinho de história. Nos velhos tempos, Zanzibar sempre foi uma ilha famosa por ser um centro comercial de escravos. Escravos da África toda eram enviados para cá para serem negociados. Na verdade, de museu não tem quase nada, mas a história do Museu é muito legal. O Museu é basicamente o lugar onde guardavam os escravos para venda depois e também para negociação. O interessante é a história de como tudo terminou. Existiu um cara que eu não lembro o nome, que acabou com tudo. Depois foi construída uma Igreja Cristã em cima do lugar onde negociavam os escravos. Nas comentários das fotos vou explicar isso melhor.

É muito triste saber como as coisas funcionavam, guardavam os escravos em condições HORRÍVEIS, grande parte deles nem sobrevivia ficar no lugar, morriam de fome ou doenças geradas pelo próprio ambiente. Guardavam 100 pessoas num lugar que cabiam mais ou menos 10, é triste só de pensar.

E ai ficavam os escravos. Mais ou menos uns 100 dentro dessa peça.
Agora com uma pessoa para vocês terem noção de como era pequeno o espaço. A pessoa, era nosso guia no Museu.
Fora, existia esse conjunto de "esculturas" em homenagem aos escravos.Era assim que eles eram carregados, acorrentados pelo pescoço um a um. Lembro do guia contar que quando reclamavam de cansaço, seus "donos" cortavam a cabeça para lhe dar descanso. Mais prático para liberar né? 😦 Lembro de alguem na hora pedir para eu sorrir pra foto. E tem como sorrir num lugar assim?

Uma curiosidade mais triste ainda é como eles davam os preços nos escravos. Na hora de negociar os escravos, eles eram amarrados em um ponto alto pindurados pelos ladros e eram chicoteados até começar a chorar. Os que demoravam mais tempo para chorar ou se entregar, eram os que valiam mais, pois teoricamente tinham mais resistência. Triste, né?

Aqui a Igreja que foi construída no lugar onde eram negociados os escravos. Do lado do Museu.
Dentro da igreja, atras do altar, está enterrado o cara que foi o responsável por acabar com a escravidão (pelo menos oficialmente, pois ela continuava por debaixo dos panos). O nome dele? Só Deus sabe...
Na frente do altar, outra homenagem. Naquele círculo branco, é exatamente o lugar onde havia a estaca onde os escravos eram amarrados e espancados para avaliar a sua resistência na hora da venda. Ao redor, o mármore vermelho representa o sangue que jorrava de deus corpos.

Uma coisa muito legal, é que o Sr. Amour passou o dia todo com a gente sem cobrar nada. Claro, fizemos questão de pagar o almoço e uma cervejinha para ele, que apesar de estar em terra Muçulmanas, bebeu com a gente. Alias, a cerveja da Tanzania é muito boa, em especial a Kilimanjaro. Mas como eu tinha falado, o Sr. Amour acabou ficando com a gente o dia todo e resolveu nos levar na casa dele para nos apresentar para sua esposa. Gente, essa foi a parte mais divertida de Stone Town. Dá uma olhada nos espetáculo da sala dele:

Espetacular, não? Né Lilian?
Detalhes, olhem os detalhes!
As 2 cervejas locais. Safari e Kilimanjaro. Kilimanjaro é o nome de uma das montanhas mais altas da África. Eu gostei mais da Kilimanjaro.

Na casa dele fomos recepcionados pela sua esposa que nos deu um suco de Manga espetacular. Sério, a manga da Tanzania é MUITO gostosa. Acabamos ficando um pouquinho papiando ali rapidinho e logo saimos. Segue a fotinho de recordação.

Nós, Amour e esposa na sua sala espetacular.

Fora isso, passeamos mais um pouco pela cidade e antes de irmos para a região das praias, passamos pelo Spice Tour. Basicamente o Spice Tour é uma fazenda de pimentas, frutas, sementes e tudo mais que tu imaginar onde tu conhece como eles cultivam tudo essas coisas. Apesar de nada demais para quem está acostumado a ter uma horta em casa desde piá, é interessante provar as frutas e tudo mais. É um passeio gostoso de fazer.

Jaca. Eu não tinha visto uma no pé! 😛
Conhecemos a fruta/semente que antes era usada como batom natural pela mulheres. Aí nosso guia tava passando na Lilian.
Ai tá a fruta ou seja lá o nome que gerava o batom natural.
Lilian com seu batom natural e seus óculos feitos de folhas de Abacaxi! Não dá pra negar que foi criativo da parte do cara fazer o óculos! ahahaha
Tive que usar o óculos também!
Essa foi a fruta mais bizarra que vimos. Nem lembro o que é, mas é MUITO mutante! ahahhaha
E no final, depois de comer um monte de fruta, ganhamos nossos chapéus feitos na hora por um funcionário da fazenda. ahaha No mínimo, engraçado, né? ahhhha

Bom, agora sim fomos pro paraíso. Depois de uma viagem de 1h30min, 3 paradas com policias de trânsito onde o Sr. Amour teve que se virar pagando propina por simplesmente estar passando pela estrada (como em qualquer lugar aqui na Africa), chegamos no nosso hotel, Langi Langi Beach Resort. Lugarzinho flor de especial.

Mas como eu tenho um pouco de noção, eu vou separar esse post em 2. 😀 Vá respirar um pouco e leia o outro depois ou em outro dia! 😀

Tiago

ps1: Freddy Mercury, vocalista falecido da banda de rock Queen, nasceu em Zanzibar! 🙂

Anúncios

18 comentários sobre “Tanzânia – Dar-Es-Salaam / Zanzibar (Stone Town)

  1. LOL!!! :O

    Não aguento esperar pelo próximo post! Posta logo, Tiago! Adorei as fotos, os comentários em cada uma, ver um pouco do mundo através dos teus olhos.

  2. Essa “fruta” do batom é o famoso URUCUM também utilizado pelos índios brasileiros como tinta para pintura da pele. Outra grande utilidade é como corante para comida. Alguns locais no Brasil chamam de coloral. É um dos ingredientes da deliciosa moqueca capixaba e vários outros pratos brasileiros. 😉

  3. Tiago!!!

    Nossa, que lugar lindo.O que é a cor do mar????Jesus…….
    Estou amando conhecer os lugares por onde tu anda passando.Muito show.Tu tá podendo curtir cada coisa, cada lugar, cada pessoa…..não é o maximo isso????Aproveita bem.Esse momento será único.
    Estou curiosa para ver o outro post.
    Grande bj

  4. puxa, só pude ‘ler’ as fotos… hehehehe e alguns comentários.

    Muito massa o lugar… lembra um pouco o guaíba , soh que é de outro tom…. (Renato Borguetti). e as Ruelas tem de monte na Restinga… hahahhaa

    Brincadeiras a parte, lindo o lugar. E agora eu tb notei que o Amor é muito simpático e receptivo…

    abç dusmeo.

    Por aqui continua tudo igual pra mim, rato de CPD: 40 graus na rua, 18 graus no trampo…. gripe constante…
    Ednilson

  5. Aieee os melhores posts, serio, vontade demais de conhecer esses teus lugares, só vc msm pra arranjar umas paisagens dessas pra fotografar e deixar td mundo morrendo de vontade de estar ai tambem!!!!!!
    Saudade de ti guriiii, se cuida de ensolação néé, nao vai da pra ir ai prestar atendimento, aff hahahahaha

    Beijoo

  6. Cara animal seu blog, não conhecia. E essa praia hein? Sensacional! Vou continuar te acompanhando. Aproveite bastante por aí. Grande abraço!

  7. Tiago, li seu blog. Estou indo a Dar es Salaam. Depois gostaria de pegar um vôo até Nampula. E de Nampula ir pela estrada (carro, ônibus ou trem) até Beira. E de Beira seguir na estrada até Maputo. Sabe dizer se é possível isto? Há, de Nampula a Beira estradas rodoviárias ou de ferro, e de Beira a Maputo, que possibilitem isso? Agradeço,
    Fernando, jornalista

    1. Fernando,
      Acredito que tu consegue fazer todos os caminhos por carro. As estradas as vezes estão em condições um pouco ruins, mas com calma, é bem tranquilo. A maior preocupação que tu tem que ter quando for viajar de carro em Moçambique é os postos de combustível, as vezes depende do caminho que tu for fazer, e se teu carro não for muito economico, pode ser difícil encontra-los. Se for o carro, tente levar pelo menos uns 20L junto por garantia. Boa sorte e boa viagem.

  8. Que lindo esse lugar e que histórias desse povo hein? gostaria muito de conhecer este lugar e conhecer um pouco da cultura deles também. Uma viagem assim fica muito cara? É muita burocracia conseguir os vistos?Qual é a moeda de comercialização deles?

  9. Grande passeio. Estive lá no final de 2009. Faltou você ir na casa onde nasceu Farrok Bomi Bolsara, vulgo Freddy Mercury. Hoje é uma loja no local.

  10. Olá, Tiago. Suas postagens são um belo serviço para quem gosta de viajar para destinos exóticos, como é o meu caso. Estou encantado com a Tanzânia, sobretudo com Zanzibar. Pela história e pela beleza do mar local, à beira do Oceano Índico. Poderia me passar detalhes de como adquirir passagens de Dar Es Saalam para lá? Detalhes sobre bons hotéis ( gosto de boa hospedagem)? Outros tópicos que possam facilitar a viagem como comportamento local, costumes, moeda local, câmbio e afins? Obrigado pela atenção e parabéns pelas belas e animadas postagens. E pelas belíssimas fotos. Grato. Marcos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s