(In)tenso

Buenas meu povo, como estão todos? Espero que bem. 🙂

Eu queria começar este post, colocando um parágrafo de uma matéria que a Bruna me passou esses dias pelo Skype que mostra a agressividade e a potência do crescimento da Vale no mundo, apenas para tentar dar a vocês as proporções que o negócio está tomando.

“A mineradora Vale registrou lucro líquido de 6,63 bilhões de reais no segundo trimestre do ano, o melhor resultado desde a crise financeira no terceiro trimestre de 2008 e superior em 344 por cento ao lucro obtido há um ano, de 1,494 bilhão de reais.” O Globo

Quando eu li essa matéria me apavorei um pouco. Durante o processo de trainee da Vale no Brasil (eu fiz esse ano também) os gerentes explicaram que desde a privatização da Vale, ela cresceu em valor de mercado 20x, o que é um absurdo. E tudo isso graças a privatização… Infelizmente a mão do poder público em um negócio sempre atrasa resultados por burocracia excessiva… Hoje conversando com um colega de trabalho, nos perguntamos o que seria da Petrobras se não fosse estatal… Por pesquisas que ele leu, se ela virasse uma empresa privada, facilmente seria a maior do mundo no setor de energia.

Ok, mas não é sobre isso que vou falar hoje não… Só achei isso tão impressionante que quis fazer um sharing com vocês. 🙂 Fotos randômicas de uniforme, abaixo.

Vidro
Uniformizado, esperando a carona para ir para a empresa. Detalhe pro nosso amigo ali em "alfa"

Uniforme
Nem a Bruna fica pra tras na parte de usar uniforme. Mulherada aqui não pode fazer desfile de moda! 😛 Ok, eu to com uma cara de idiota GIGANTE.

Mudando de assunto, vocês sabem quando as coisas acontecem de uma maneira muito intensa? Aquela intensidade que não dá pra explicar muito, mas que simplesmente acontece? Pois é, isso é o que eu tenho a dar de conclusão para o tempo que eu estive aqui até agora. Intensidade de tudo, tanto em âmbito pessoal quanto profissional, mas em diferentes aspectos.

No âmbito pessoal, é que tudo vai acontecendo muito rapidamente por aqui em relação a relacionamento interpessoal. Como é um lugar totalmente estranho para todos os brasileiros, há uma tendência muito grande a um brasileiro tentar ajudar o outro, e isso faz com que todos fiquem muito juntos, todos se tornem amigos muito rapidamente, MUITO rapidamente.

Se pararmos para pensar no âmbito de adaptabilidade, isso é muito bom, pois faz tu se sentir muito bem, já rodeado por amigos, por pessoas que possivelmente podem te dar carinho e suprir necessidades que tu sente falta da tua família, amigos ou até namorada(o). Mas isso também esconde um lado obscuro, que é o lado do realmente conhecer alguem.

Quando as coisas acontecem tão rapidamente, as vezes tu acaba não conhecendo a pessoa direito, acaba não sabendo seus limites, acaba não sabendo suas preferências e a qualquer momento pode fazer algo que a pessoas não goste ou o contrário. Muitas vezes as coisas se tornam profundas mas ao mesmo tempo superficiais. E ai? Como evitar que isso aconteça sem mágoas? Pois é, um grande desafio.

Aquela velha história, pessoas são diferentes, e essa é a graça da vida. Sem fossemos todos iguais tudo seria monótono. Porém, com as diferenças vem o dom da flexibilidade. Até que ponto ela vai? Até que ponto tu está disposto a ser flexível?

Momento de relexão.

3... 2... 1... e...

Voltando…

Já no âmbito profissional, a intensidade é de conteúdo. É MUITA coisa para estudar, muita coisa para ler e em especial, MUITA coisa para aprender. Eu estou me vendo aos trancos para achar conteúdos bons sobre o tema que irei trabalhar aqui. Nesse ponto eu lembro o por que eu odeio pesquisa científica. E não odeio todas, odeio as basicamente teóricas.

Pesquisa científica extremamente teórica na Administração é inútil. Tu lê, lê e lê e quando chega na empresa pra pensar em por em prática, em geral, não tem a mínima idéia de ocmo começar. Isso é um grande defeito do curso de Administração para mim. Administração tem que ser dada por pessoas com experiência de mercado, ou pesquisadores que se interessem realmente pelo mercado, e não por pessoas interessadas apenas em livros e escrever artigos para sair em revistas ou ter nos cúrriculos.

Por que quando eu leio um artigo na HSM Management ou leio um artigo científico, me interesso muito mais pela HSM? Por que aquela porra é PRÁTICA, em geral se fala em etapas, processos e atividades a serem feitas. Mas tudo bem, vocês já entenderam meu ódio, né? Amantes da pesquisa científica, eu sei que elas tem intuitos diferentes, apenas quero dizer que para amantes da Administração Empresarial e prática, ela em geral é inútil (pelo menos por grande parte dos pesquisadores que lemos por ai…)

Mas então, a intensidade de coisas para estudar e coisas aprender é muito grande também. Essas últimas duas semana foram uma loucura, não em conteúdo como um todo, mas em pressão por saber e aprender (pressão minha em mim mesmo, capiche?)

Fora isso, para encerrar, vamos levar em conta outro ponto da intensidade. INTENSIDADE DE CERVEJA. Gente, desde que eu cheguei aqui em Tete, eu bebi TODOS os dias. Nem que seja uma cervejinha de leve… Como não se tem muito o que fazer na cidade, e a gente recém tinha chegado, a gente sempre se reunia com o pessoal para se conhecer melhor, comer algo e e e e e… BEBER! 😀

Geladeira
Essa é a geladeira do Gibba. Um cara muito preparado para receber os amigos.

A cerveja daqui é bem boa, em geral não tenho o que reclamar… Em geral eu tenho bebido 2 cervejas nacionais sempre: 2M e Laurentina Premium. Ambas são Moçambicanas, e custam o mesmo preço: 40 meticais (em torno de 2 reais) a long neck. Como vocês podem ver abaixo, o Gibba é um cara muito preparado.

Essas últimas duas semanas foram de muitas jantas, churrascos, massas, vacas atoladas, etc.  / Esqueci de avisar pra vocês que aqui tem uma TROPA de mineiros. É muito mineiro, minha gente. Mas isso irei falar outra hora. / Também tomamos muitos banhos de piscina, e por ai vai.

Até pensei que ia ficar feliz com o "churrasco"... mas pela minha cara, deu pra ver que nem foi tanto, né? O problema foi como tem que assar... Na grelha é sacanagem, né?

Piscina
Joguinho de volei na piscina da Guest House. Coisa fina. Ps: Logo depois eu entrei e destrui no jogo!
Varios
Descanso, papo, música, cerveja... Bruna, Jorge e Gibba
Viola
Violão para arejar um pouco... To precisando comprar um logo antes que eu fique louco.

E também conhecemos um pouco da diversidade de fauna aqui de Moçambique, em especial, os animais de estimação da Guest House (Hotel), casa do Gibba, Jorge, Helinho, Sandro e outros.

Coelho
Coelho de estimação da galera e o Hélinho de olho.
Arquimedes
Arquimedes, o coelho (esse foi o nome inventado pelo Gibba para ele, a 5 minutos atras).
Grazi01
Grazi, a gazela simpática e muito assanhada. Detalhe pro topetinho que ela tem no meio da cabeça. Show!
Grazi02
Elas se deram melhor. Coisa de mulher, né?

Fim de semana passado (o primeiro que eu estive aqui) tive o prazer e a profunda experiência de ir visitar o “mercado público” aqui de Tete, o famoso Mercado de Kwachena (Lê-se Cuatchena). Ele é um mercado onde se encontra de tudo, desde de roupas, pregos, maçanetas, pedaços de bicicletas e motos, até alimentação.

Ele fica em um bairro um pouco excluído da cidade e num lugar como se fosse um campo de terra ao céu aberto. É uma grande experiência passar por lá, em especial nos momentos na parte da “praça de alimentação”…

Eu, Gibba e Bruna conhecendo o famoso lugar (alias, o Gibba já conhecia)
Batata frita do Mc Donalds.
Mulheres cortando as batatas para logo após irem para a fritura...

Coachena01
Lojinhas de roupa
Coachena02
Roupas feitas na hora e a mão para colegiais.... huummm...
Diversidade de coisas para comprar. Tem de tudo que tu imaginar... Até lingeries!!!!
Eu com cara de quem tava chupando limão. Detalhe ao fundo. Venda de malas! 🙂
Um dos vendedores dando uma cestiada no intervalo do trabalho. Detalhe para a cor dos pés por andar sempre descalso.
Moçambicanas e sua incrível habilidade de carregar coisas redondas em cabeças.... REDONDAS!! Vai entender...

Sabes os conceitos padrões de higiene? Pois é, eles não são tão relevantes aqui nesta feira. O mesmo óleo frita batatas fritas por uns 30 dias consecutivos… as vezes o óleo tá tão preto que parece óleo de caminhão queimado ahahahahahah

As carnes em geral, são de animais abatidos no próprio dia, durante o período da manhã. Então se você quer comprar uma carne boa e um pedaço em bom estado, o ideal é ir de manhã bem cedo, pois tu pega a carne fresquinha, recém abatida dos animais.

Venda de carnes. Preciso falar algo?
Vai uma patinha, ai?

Outra parte das carnes engraçada, é a maneira com eles vendem os peixes. Os peixem são vendidos num estado meio charque. São banhados em sal, colocados no sol e dai ficam a venda daquele jeito por dias. É bizarro mas ao mesmo tempo bem interessante. Antes que alguém me pergunte, eu ainda não tive coragem de experimentar essas coisas… Quero dar um tempo pro meu estômago ficar mais resistente eheheheh

Venda de peixes. O cheiro dessa parte da feira não é muito agradável. Porém, o pessoal come eles normalmente. A mim, faltou coragem...
Os peixei ficam no Sol com uma camada de Sal "bagual" por cima, e depois vão para as bancas.

Neste último domingo, fomos almoçar em um restaurante de um Portugues, que é um pouco longe da cidade, mas com certeza foi o melhor restaurante que fui aqui. Uma coisa que eu achei muito interessante, é que não havia carnes no menu (cardápio), mas se tu pedia para o garçom eles tinham varios tipos. O motivo de tudo isso, era por que muitos Muçulmanos vão comer lá, e dai eles não podem ver carnes na frente… ehehheeh Mesmo que isso não vá influenciar diretamente eles, só em ter no cardápio, já faz eles não voltarem ao restaurante. Então por estratégia de venda, o dono do restaurante resolveu não colocar algumas carnes no menu. Interessante não?

Almoço muito bom! Viva ao Português! Idiot Face again...
Gibba proporcionando a nós a visão de um dos métodos normais de carregamento de pessoas aqui.

Todo mundo aqui sabe que eu sou meio apaixonado por fotografia né? Eu vim para Moçambique com intuito de fazer um registro fotográfico bem forte do país, não sei ainda se vou conseguir, mas estou tetando. Esse fim de semana me esforcei para dar uma volta e ir tirar umas fotos do Rio Zambezi e da ponte Samora Machel, que é um dos “pontos turísticos” mais conhecidos aqui de Tete.

Após o almoço no restaurante portugues do último domingo, saímos eu e o Gibba para caminharmos pela cidade e tirar umas fotos. Foi mais que uma sessão de fotos, passamos a tarde toda papiando, falando da vida e nas horas vagas, tirei umas fotos da ponte, em diversos angulos e lados diferentes. Abaixo segue para vocês conhecerem a Ponte Samora Machel.

Mozambique

Mozambique

Mozambique

Mozambique

Essa ponte foi construída na década de 70 e foi desenha pelo arquiteto Dr. Edgar Cardoso e tem seu nome em homenagem ao primeiro presidente de Moçambique, Samora Moisés Machel, o mesmo homem que estampa todas as notas da moeda Moçambicana, Metical.

A ponte é bem conhecida por, além de ser muito grande e bonita, com quase 1 km de distância ela é feita com plataformas móveis, onde cada pedaço da ponto fica suspenso por cabos e alguns eixos (como vocês podem ver na foto de debaixo da ponte que postei acima). Dependendo de como está o vento ou o movimento dos carros, tu consegue sentir a ponte se mexer, balançar um pouquinho e por ai vai. Não sei explicar engenharia, por isso vou deixar que vocês olhem pelas fotos mesmo.

Nota de 500 Meticais com a imagem de Samora Moisés Machel

Porém a ponte está bem destruída graças aos anos de uso e não manutenção. Dizem as lendas que até tanques de guerra passaram por cima dela em períodos de guerra. Essa ponte está passando por DIVERSAS reformas, que estão atrapalhando muito o fluxo de e até a cidade, pelo motivo de que ela é a única maneira ir de Tete a Moatize e vice-versa. Além disso, a estrada a qual ela faz parte é uma rota muito importante para caminhões que vem de outros países vizinhos. Existe uma equipe de profissionais portugueses realizam a manutenção dela e há previsão de término para final deste ano (dezembro), coisa que poucos acreditam. Como eu já falei em outro post, durante esse período de manutenção ela tem funcionado em ciclos de 30 min para cada direção das 7:30 da manhã as 22h da noite.

Por causa desse ciclo de veículos e pela desorganização com bichas (filas) tradicionais do povo Moçambicano, o trânsito ao redor desta ponte esta um caos. Além deste caos que irrita qualquer ser vivo, existem filas gigantes de caminhões que sei lá como nem quando, atravessam a ponte levando suas mercadorias. Uma coisa interessante em relação a isso, é que como esses caminhoneiros ficam muito tempo esperando (as vezes até dias) para atravessar a ponte, começou uma preocupação muito grande com prostituição infantil naquela região da ponte, já que graças as filas enormes, formou-se um comércio naquela região para aproveitar os carros parados para realização de comércio, vendendo-se tudo que vocês imaginarem, inclusive, pessoas.

Mozambique

Mas essa é a vida… Todo lugar tem problemas e isso faz parte do cotidiano de todos, né? Acho que novamente, eu escrevi um post excessivamente grande e por isso vou parar por aqui. Semana que vem falarei mais da vida e tudo.

Eu continuo bem, apesar de um pouco de indisposição corporal. Acho que o corpo começou a sentir que eu estou em outro lugar e tá passando pela fase de adaptação. Vamos ver se isso passa logo para eu poder produzir melhor. 😉 Para terminar, vou deixar algumas fotos que tirei naquela mesma viagem que tive com o Arão entre as vilas aqui de Moatize que eu acabei não usando no outro post, pois eu estava sem paciência para esperar elas subirem na internet.

Nah, pensando bem, vou deixar para outro post. 😉

Saudade de todos e melhores cumprimentos.

Tiago

ps1: Como sempre, eu não tive paciência pra revisar os textos, então vai assim, como veio a cabeça.

ps2: Prometo que os próximos serão mais curtos! 🙂

Anúncios

15 comentários sobre “(In)tenso

  1. Veja pelo lado bom,de que a experiência está sendo bem interessante ! 🙂
    Ah,e parabéns pelo blog que está sendo muito bem escrito,e as suas fotos estão muito bem clicadas ! Por sinal,me lembro também dos tempos de seu fotolog,alí pelos lados de 2006, já haviam belas fotos sempre alí….e seu o seu barato antigamente era fotografar insetos,bom,aí em seu novo país…devem haver vários tipos bem interessantes !

    Ah,e que pena que a vale não é mais estatal,não ? Se por um lado a iniciativa privada está fazendo dela uma gigante em termos mundiais….pelo outro,funcionários dela não são mais funcionários públicos,com seus ótimos salários !

    Val;eu por eu estar em sua lista do Twitter,e qualquer coisa eu te mando um recado por lá… 🙂

    abração !

  2. Boa noite (madrugada pra vc),

    Cara, muito legais as fotos e comentários sobre Tete. Com certeza já avisaram vcs, mas em todo o caso só lembrando que é indispensável o uso de repelente pra insetos. Quando estive aí não cheguei a conhecer Tete, pois nosso foco era analizar a viabilidade de escoar o carvão por Nacala, e no meu caso estava inspecionando o material rodante (locomotivas e vagões). O mais próximo que cheguei foi até Blantyre, no Malawi. Mas, pelo que vi nas fotos do mercado, não muda muito. Quanto a indisposição, durante todo o tempo que estive aí, eu ia ao banheiro em média 4 vezes por dia, pra fazer o N2. Tomava só água mineral e depois passei a escovar os dentes com água mineral também, mas não adiantou muito. Espero que no seu caso seja só o período de adaptação mesmo. Vou parar por aqui, pq pra comentário já tá longo este texto.

    Boa sorte

    1. Gilson! Valeu pelo comentário! Realmente, aqui é tudo mais complexo em termo de alimentação. Meu corpo me diz que tá sentindo que as coisas são complexas mas tá aguentando bem por enquanto. Vamos ver quanto tempo isso vai continuar… A água mineral realmente é essencial. Ainda bem que temos bastante acesso.
      Abraço!!

  3. O meu primo! To gostando desses registros hein! Vou acompanhar semanalmente!
    Sucesso na empreitada! Abração, te cuida e aproveita!

  4. É meu amigo!

    Bom demais! Sensacional.

    As fotos e a boa escrita tem alimentado cada vez mais meu sonho de um dia ir parar ai na África. Por enquanto fico com as Ásia da vida.
    Sucesso ai! Sempre!
    E vai no médico hasusahusa

    Grande abraço.

  5. Tiaguinho,

    Estou adorando as tuas histórias, fotos e tudo mais.Acho que vai ser uma experiência e tanto a tua estada ai na Vale.Muita sorte.Bom trabalho e muita diversão..eheheh
    Bjão

  6. Nossa, essa viajem deve estar sendo maravilhosa, quanta coisa diferente, que nojinho daquelas carnes primo, não come aquilo não, vai fazer mal! O.O
    HSUSHEUEHUAHSUSHUEHEUSH

    Continua com as fotinhos, e com os posts, tudo MARA! beijo grande.

  7. Tiago… pode continuar assim, está muito bom teus posts.
    Sem contar as fotos estão excelentes.
    Sucesso e um grande abraço pro amigo.

  8. Hola queridaum!!!
    Amei teu blog, claro q naum li td neh…hehehehe, mas sei muito bem o q tah passando, afff eu jah imaginava que o Equador tinha os piores mercados do mundo, mas depois de ver esses, MY GODNESS!!!!! Que horror, se aki jah tive infecção intestinal, urinária, mais caganera que em toda a aminha vida junta, imagina ae, ia morrer na primeira semana…hehehe, o ae sim que ia emagrecer…hehehehe, mas com o tempo te acostuma, agora depois de quase 4 meses soh ganho caganera 1x por mês qd mudo de restaurante o algo assim.
    Eh q hotel chicoso hein, tah loko, com piscina e td, eh naum eh fácil viver em hotel, mas tem suas vantagens tb, no primeiro mês foi difícil pra mim, ainda q meu quarto é minúsculo e sem janelas pra rua, soh pro corredor do hotel, mas depois se acostuma, eh com td, pra mim as fases do intercâmbio estão um pouco diferentes, excitação sempre, menos nos dias femininos, ae morro de saudades, choro, quero falar com a mãe e com td mundo, coisa de mulher neh!!!!
    Mas amado, boa sorte ae pra ti, espero que adore muito teu X, assim como eu estou adorando o meu, e te cuida ae com as moçambicanas, se forem como os equatorianos, uau tah loko!!!!
    Bjaum e te espero no meu blog tb!!!

  9. Gaúcho,
    Mas bah, você chegou quietinho e já conquistou espaço nos nossos corações!
    Adorei seu blog e vou voltar aqui sempre… Vi que andou pescoçando o meu também, fique a vontade, tem sido uma p..iiii… válvula de escape aqui, nos rincões da África!
    Beijo grande,
    Anna

  10. Cara, show o blog!!!!
    Não vejo a hora de ter o meu relatando algo de algum outro país nesse mundo!

    To na expectativa aqui de ler o post sobre a tua experiência na culinária da feira ali heuehuehuehe vai com cuidado!

    Abraço!!!!

  11. Meu Caríssimo Tiago…
    Que bom que estás bem e com este espírito para enfrentar as “novidades” que estão por aí. O teu blog está muito bom, assim como, também, a maneira como escreves as tuas experiências. A adaptação parece de vento em popa. Isso é bom!
    Abraço e sempre por aqui!
    PAX!
    Gilnei

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s